Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    47.967,12
    +70,98 (+0,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.530,00
    +12,25 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Fidelity alerta empresas sobre política climática e diversidade

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A Fidelity International alertou empresas de seu portfólio que, se não tomarem medidas suficientes para combater a mudança climática, a gestora de ativos votará contra a administração nas assembleias de acionistas a partir do ano que vem.

A firma de investimentos de US$ 787,1 bilhões anunciou políticas sobre mudança climática e diversidade de gênero na segunda-feira, que incluem requisitos para que as empresas do portfólio administrem o impacto ambiental, reduzam as emissões de gases de efeito estufa e forneçam divulgações específicas sobre emissões. Para limitar o aquecimento global a 1,5º Celsius acima dos níveis pré-industriais, todas as áreas da economia global “precisarão passar por uma transformação radical”, e as empresas que ficarem aquém das expectativas mínimas da Fidelity serão penalizadas com votos contra seus executivos, segundo comunicado.

“Nossa mensagem para as empresas investidas é clara: a crise climática não deve e não pode ser ignorada”, disse Jenn-Hui Tan, chefe global de governança e investimento sustentável da Fidelity International, em comunicado. “Isso impacta a própria natureza dos principais setores em que investimos e, como tal, deve estar no topo da agenda de todas as empresas.”

A Fidelity também disse na segunda-feira que planeja pressionar por uma maior diversidade de gênero nos conselhos. A gestora disse que vai se envolver ativamente com empresas do portfólio e considerar votar contra a administração na maioria dos mercados desenvolvidos que não tenham pelo menos 30% de representação feminina em seus conselhos. Em mercados onde os padrões de diversidade ainda estão em desenvolvimento, a Fidelity disse que terá um limite inicial de 15%.

O Financial Times divulgou anteriormente as iniciativas da Fidelity.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos