Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    57.988,80
    -479,73 (-0,82%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Fiat vai dar 10 dias de férias coletivas para cerca de 1.900 funcionários

O Globo
·1 minuto de leitura

Rio - A Fiat anunciou que vai conceder 10 dias de férias coletivas para cerca de 1.900 funcionários que trabalham no segundo turno do Polo Automotivo Fiat, de Betim, em Minas Gerais.

O prazo começa na próxima segunda-feira, 19 de abril, com retorno programado para o dia 29.

Segundo a empresa, a medida foi tomada para "adaptar o ritmo de produção às condições atuais de volume e regularidade de fornecimento de componentes". A Fiat disse ainda que continua em contato e em negociação com seus fornecedores para normalizar os fluxos de suprimentos.

O problema da falta de insumos tem afetado as linhas de produção de automóveis e caminhões desde o ano passado e pode ampliar a falta de veículos. As filas para a compra de alguns modelos já chegam a quatro meses, um problema que teve origem na suspensão das linhas de produção entre abril e junho do ano passado e que ganhou fôlego com a escassez de chips e peças este ano.

Desde o início da pandemia, outras montadoras já interromperam suas atividades. Algumas foram para conter o avanço da Covid-19 nos pátios das fábricas, como a montadora Nissan, que anunciou férias coletivas em seu complexo industrial de Resende, no Rio de Janeiro, paralisando a produção entre os dias 26 de março e 9 de abril.

A Volkswagen, Scania e Volvo também já tinham anunciado a paralisação da produção nas fábricas do ABC paulista, e a alemã Mercedes-Benz também informou que vai parar a fabricação de veículos nas fábricas de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, e em Juiz de Fora, Minas Gerais, por conta da pandemia de Covid-19.