Mercado fechará em 1 h 38 min
  • BOVESPA

    110.986,61
    +313,85 (+0,28%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.435,35
    +32,65 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,62
    +0,66 (+0,80%)
     
  • OURO

    1.784,20
    +13,70 (+0,77%)
     
  • BTC-USD

    66.287,07
    +2.917,59 (+4,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.541,31
    +60,51 (+4,09%)
     
  • S&P500

    4.526,53
    +6,90 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    35.581,83
    +124,52 (+0,35%)
     
  • FTSE

    7.223,10
    +5,57 (+0,08%)
     
  • HANG SENG

    26.136,02
    +348,81 (+1,35%)
     
  • NIKKEI

    29.255,55
    +40,03 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    15.365,00
    -33,50 (-0,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4737
    -0,0225 (-0,35%)
     

Stellantis vai paralisar turno da fábrica de Betim/MG por três meses

·2 minuto de leitura

A Stellantis anunciou nesta semana que prepara a suspensão dos contratos de trabalho de parte de seus funcionários da fábrica de Betim/MG. De acordo a empresa, que engloba Fiat, Jeep e outras montadoras, a ação conhecida como lay-off será necessária devido à escassez de semicondutores e peças para a produção de veículos. Na planta mineira, são feitos carros como Fiat Argo, Cronos, Mobi, Strada, Grand Siena e Dobló.

Segundo a Stellantis, a paralisação na produção desses veículos vai durar três meses, mas para apenas 1.800 funcionários, que correspondem ao turno da noite. A Fiat ainda precisa definir quando irá colocar em prática essa ação, mas, segundo a própria montadora, os funcionários concordaram com a ideia, tendo em vista o atual momento do mercado.

Em contrapartida a essa decisão, a Fiat pretende manter os salários integralmente dos empregados, que recebem até R$ 3.500. Para os que ganham mais, existirão cortes proporcionais e que aumentam conforme os ordenados forem maiores. Os convênios médicos também serão mantidos em sua totalidade e haverá uma ajuda de custo de R$ 70 para aqueles que forem trabalhar de casa e precisam utilizar internet.

(Imagem: Matheus Argentoni/Canaltech)
(Imagem: Matheus Argentoni/Canaltech)

Com essa decisão, a Stellantis, que engloba não apenas a Fiat, mas também a Jeep, RAM, Peugeot, Citroën e outras marcas, foi a última grande montadora a ter sua produção afetada pela falta de peças para montagem dos carros. A boa administração dos condutores por parte da empresa italiana lhe rendeu a liderança folgada do mercado brasileiro e o domínio em vários segmentos, como de SUVs.

Recentemente, outras montadoras sofreram muito com a falta de semicondutores e precisaram paralisar parcial ou totalmente suas linhas de produção, como General Motors, Honda, Toyota, Volkswagen e Hyundai.

Veja o comunicado na íntegra:

A Stellantis informa que a concessão de layoff, aprovada pelos trabalhadores do Polo Automotivo de Betim por maioria de votos em assembleia na última semana, terá início na segunda-feira, dia 04 de outubro, abrangendo cerca de 1,8 mil empregados, pelo período de três meses. A medida se concentra em parte do turno noturno de trabalho. O turno diurno continua a operar normalmente.

A medida é uma decorrência do impacto da crise sanitária e de suas consequências sobre a economia, que agravaram a escassez global de insumos, notadamente de componentes eletrônicos, comprometendo a capacidade de manter o ritmo e volume de produção dentro de padrões previsíveis.

A suspensão do contrato de trabalho para qualificação profissional preserva os empregos dos trabalhadores envolvidos e assegura os direitos estabelecidos no acordo coletivo de trabalho, além de oferecer qualificação profissional, estabilidade no emprego proporcional ao período de afastamento e o pagamento de bolsa-auxílio, para preservar o poder aquisitivo.
A empresa espera a normalização dos suprimentos e a retomada dos volumes de produção no menor prazo possível.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos