Mercado fechado

Fiat Chrysler e Peugeot se reúnem para acertar fusão, dizem fontes

MILÃO/PARIS (Reuters) - Os conselhos da Fiat Chrysler e da Peugeot se reúnem separadamente nesta terça-feira para discutir a finalização de um contrato inicial para uma fusão de 50 bilhões de dólares que criará a quarta maior montadora de veículos do mundo, disseram fontes.

Uma fonte próxima à FCA disse que as duas empresas podem anunciar a assinatura de um acordo vinculante na manhã de quarta-feira, seguido de uma teleconferência para explicar mais detalhes no final do dia.

As duas montadoras anunciaram há seis semanas planos para uma parceria para ajudá-las a lidar com os grandes desafios do setor, incluindo uma desaceleração da demanda global e a necessidade de desenvolver veículos mais limpos para atender legislação mais restritiva contra poluição.

Antes das reuniões, entidades representando a família Peugeot, Etablissements Peugeot Freres (EPF) e FFP, aprovaram por unanimidade um memorando de entendimento proposto para a fusão planejada, disse uma fonte familiarizada com a situação.

FCA e Peugeot disseram que pretendem finalizar um acordo até o final do ano para criar um grupo com vendas anuais de 8,7 milhões de veículos. Esse volume colocará o grupo no quarto lugar do ranking global, atrás de Volkswagen, Toyota e Renault-Nissan.

Carlos Tavares, da PSA, será o presidente-executivo do grupo combinado e John Elkann, da FCA - descendente da família Agnelli da Itália, que controla a FCA por meio da holding Exor - será presidente do conselho.

O grupo incluirá as marcas Fiat, Jeep, Dodge, Ram, Chrysler, Alfa Romeo, Maserati, Peugeot, Citroen, DS, Opel e Vauxhall, permitindo atender mercados de massa e de luxo, bem como caminhões e veículos comerciais leves.

(Por Giulio Piovaccari)