Mercado fechado

FGV: Incerteza da Economia alcança maior nível desde setembro de 2019

Valor

Os dois componentes do indicador tiveram avanço em fevereiro, contribuindo para o resultado geral mais alto O Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br), da Fundação Getulio Vargas (FGV), subiu 2,2 pontos em fevereiro, para 115,1 pontos, maior nível desde setembro de 2019 (116,9 pontos). Considerando-se a evolução em médias móveis semestrais, houve aumento de 0,2 ponto, para 112,3 pontos.

Os dois componentes do Indicador de Incerteza tiveram alta no segundo mês de 2020. O componente de Mídia, aumentou 1,4 ponto, para 113 pontos, contribuindo em 1,2 ponto para o comportamento do índice geral no mês. O componente de Expectativa, teve elevação de 4,8 pontos, para 117,3 pontos, contribuindo em 1 ponto para a alta da incerteza.

“Desde julho de 2015 que o Indicador de Incerteza da FGV vem se mantendo acima do elevado patamar de 110 pontos, com uma média de 115 pontos, exceto pelo semestre setembro de 2017-fevereiro de 2018 e em outros cinco meses isolados. Durante este período, na maioria das vezes, fatores relacionados ao ambiente interno sustentaram os níveis elevados de incerteza. Nos últimos três meses, no entanto, os choques que levaram novamente o indicador à média dos últimos anos se originaram no exterior: primeiro, a guerra comercial EUA-China, depois o conflito EUA x Irã e, em fevereiro, a epidemia de coronavírus, com seus possíveis impactos sobre o desempenho da economia mundial em 2020”, relata Aloisio Campelo Jr, Superintendente de Estatísticas Públicas da FGV IBRE.