Mercado fechará em 6 h 38 min
  • BOVESPA

    124.564,31
    -47,72 (-0,04%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.910,53
    +12,74 (+0,03%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,01
    +0,36 (+0,50%)
     
  • OURO

    1.797,80
    -2,00 (-0,11%)
     
  • BTC-USD

    39.804,27
    +1.491,88 (+3,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    932,28
    +56,04 (+6,40%)
     
  • S&P500

    4.401,46
    -20,84 (-0,47%)
     
  • DOW JONES

    35.058,52
    -85,79 (-0,24%)
     
  • FTSE

    7.006,37
    +10,29 (+0,15%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    15.005,50
    +57,75 (+0,39%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0821
    -0,0263 (-0,43%)
     

Festival "livre de COVID" resulta em mais de mil infectados

·1 minuto de leitura

Mais um caso falho de evento "livre de COVID" acaba de acontecer nos Países Baixos. No começo deste mês de julho aconteceu o festival Verknipt, ao ar livre na cidade de Utrecht, que recebeu cerca de 20 mil pessoas ao longo de dois dias.

Para entrar no festival, o visitante precisava apresentar um QR Code que comprovava que estava vacinado, teve uma infecção recente pelo coronavírus ou apresentava um teste negativo. Apesar do controle, defendido pelos organizadores como uma medida segura, 1.050 pessoas testaram positivo para a COVID-19.

Lennart van Trigt, porta-voz do conselho de saúde da cidade, diz que não há como afirmar que todas essas pessoas foram infectadas no próprio festival. "É possível que eles tenham sido infectados enquanto viajavam para o festival, na tarde antes de ir ao evento ou ainda em uma festa após o evento", diz.

<em>Imagem: gpointstudio/Freepik</em>
Imagem: gpointstudio/Freepik

Trigt conta ainda que o evento falhou no processo de apresentação dos testes negativos, exigindo que o exame tivesse sido realizado em até 40 horas antes do evento. No entanto, a pessoa pode ter se infectado durante esse período, e o ideal seria a exigência de até 24 horas. Outro problema questionado é em relação à vacinação, pois as pessoas podem ter se vacinado pouco antes do evento, o que não garante imunização.

A falha no planejamento não é a primeira enfrentada nos Países Baixos. Na cidade de Enschede, o bar Aspen Valley organizou uma reabertura com exigências parecidas: apresentação de QR code comprovando vacinação ou teste negativo. Também não foi exigido o uso de máscaras de proteção, e essa combinação acabou resultando em 180 pessoas infectadas em um grupo de 800.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos