Mercado fechará em 1 h 50 min

Festival da Embaixada da Coreia terá participação do idol Spax; veja programação

Louise Queiroga

O idol Spax, que compôs uma música para os fãs brasileiros, com videoclipe gravado em Salesópolis, no interior de São Paulo, teve sua presença confirmada no Festival República da Coreia, a ser realizado entre os dias 20 e 24 deste mês. O evento, promovido pela Embaixada da Coreia do Sul, será transmitido online devido à pandemia da Covid-19.

O encontro virtual, voltado aos admiradores da cultura coreana e a interessados em conhecer melhor este país asiático, famoso por sua tecnologia de ponta e indústria do entretenimento, terá como ponto de partida uma análise ao vivo feita pelo Ministro da Embaixada Lee Jang sobre o combate à Covid-19 na Coreia do Sul.

Essa iniciativa da missão diplomática sul-coreana visa a aproximar a cultura do país ao povo brasileiro e abordará uma série de elementos que formam sua rica cultura, desde os detalhes de sua gastronomia, turismo, educação, oportunidades de bolsas de estudo, cinema, Taekwondo, roupas e jogos tradicionais, até atividades interativas, envolvendo rodadas de perguntas e respostas. Claro, a música não poderia ficar de fora, considerando todo o avanço do K-pop no Ocidente.

Estima-se que existam hoje cerca de 70 milhões de fãs desta onda K em todo o mundo – esse número aumentou mais de 230% em relação a 2014. Especialmente os K-dramas estão ganhando popularidade na América Latina, já que as plataformas de streaming como Netflix começaram a incluir muitos dramas e shows coreanos. Nesta semana, o grupo BTS bateu o recorde de maior alcance mundial em vendas de single no iTunes, que pertencia à música "Hello", da cantora britânica Adele, e um dos integrantes do conjunto também superou a marca máxima dela. Agora, BTS e Kim Taehyung, conhecido como V, são os únicos que tiveram singles em primeiro lugar no iTunes em mais de 102 países, com "Black Swan" e "Sweet Night", respectivamente. Esta última, inclusive, é canção original do dorama "Itaewon Class".

Muitos grupos do K-pop também se destacam no cenário internacional, desde os mais antigos, como Girls' Generation, os da geração intermediária, como o EXO, até os mais recentes, como (G)-IDLE.

As idols do BLACKPINK, por exemplo, chamaram atenção neste ano, ao lançarem "Sour Candy", em colaboração com Lady Gaga. O hit está no álbum novo da americana. Além disso, Jennie, Lisa, Rosé e Jisoo quebraram cinco recordes de streaming no YouTube, já reconhecidos pelo Guinness, pelo MV de "How You Like That". E a lista dos artistas de K-pop bem-sucedidos é longa.

Fãs da música pop sul-coreana contarão com um quadro especial no evento da Embaixada, a ser realizado em seu último dia, sexta-feira dia 24 de julho, quando será a vez do Kpop Live Festival.

Trata-se de um concurso que vai escolher os melhores covers de K-pop do Brasil. Os candidatos foram pré-selecionados em chamada que recebeu cerca de 300 interessados. A curadoria do KLF é de responsabilidade do comitê de apoio à cultura coreana, KoreaON, parceiro da Embaixada. Um dos jurados será o cantor Spax, que está no Brasil desde o início de março e teve sua agenda afetada pela pandemia. Em maio, ele doou kits de álcool gel e máscaras para um hospital infantil em São Paulo.

À época, Spax deu uma entrevista exclusiva ao EXTRA e prometera lançar uma música feita especialmente aos fãs brasileiros, ressaltando que, aqui, ele se sente em casa. E então, no Dia dos Namorados, foi divulgada a canção e o MV de "Te Quiero Mas".

— O Brasil é um país que eu já visitei quatro vezes. Me sinto em casa. E os brasileiros são bem calorosos. Recebo muito amor — ressaltou o artista, que pretende ficar no país até agosto. — As fãs brasileiras são bem ativas e calorosas. Diferente das fãs de outros países. Elas me dão muito amor.

 

"O que chamamos de onda coreana, que é esse movimento de difusão da nossa cultura em todo o mundo, ajuda a diminuir a distância psicológica entre os povos dos dois países, fazendo com que Brasil e Coreia se tornem vizinhos próximos. Nós acreditamos que, por meio de iniciativas deste tipo, o intercâmbio entre brasileiros e coreanos só tende a aumentar. Acredito também que, por isso, as relações bilaterais em diversas áreas como política, economia, cultura, entre outras, serão cada vez mais aprofundadas", afirmou Kim Chan-woo, embaixador da República da Coreia no Brasil, por meio de nota.

Com um formato de programa de TV, haverá diversos quadros a serem transmitidos ao vivo, sendo apresentados pela jornalista Rafaela Dornas. Para isso, foi montado um estúdio dentro da sede da missão diplomática, em Brasília. A live será passada pelas redes sociais da Embaixada da República da Coreia: canal do YouTube (principal), página do Facebook e conta no Instagram. A programação inclui tradução em Libras (Língua Brasileira de Sinais) de 20 a 23 de julho.

De acordo com a embaixada, o festival deste ano foi planejado para ser transmitido online para respeitar o distanciamento social e garantir que todos os cuidados devidos com a pandemia do novo coronavírus sejam tomados. Essa decisão acabou proporcionando uma oportunidade, conforme diz o comunicado, para atingir mais pessoas "em todos os cantos" do Brasil.

"Até ano passado, os eventos culturais da Embaixada eram realizados em capitais brasileiras, sobretudo Manaus, Recife e Brasília. Porém, com a Covid-19, a estratégia precisou ser adaptada. A Embaixada decidiu transformar o festival em um formato totalmente online e interativo com uma semana inteira de programação", afirmou a embaixada sul-coreana.

Segunda-feira, 20 de julho

Terça-feira, 21 de julho

Quarta-feira, 22 de julho

Quinta-feira, 23 de julho

Sexta-feira, 24 de julho: