Mercado abrirá em 7 h 54 min
  • BOVESPA

    101.915,45
    -898,58 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.698,72
    -97,58 (-0,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    67,61
    +1,43 (+2,16%)
     
  • OURO

    1.780,20
    +3,70 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    57.076,77
    -169,32 (-0,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.469,08
    +26,30 (+1,82%)
     
  • S&P500

    4.567,00
    -88,27 (-1,90%)
     
  • DOW JONES

    34.483,72
    -652,22 (-1,86%)
     
  • FTSE

    7.059,45
    -50,50 (-0,71%)
     
  • HANG SENG

    23.794,40
    +319,14 (+1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.947,55
    +125,79 (+0,45%)
     
  • NASDAQ

    16.315,25
    +164,75 (+1,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3894
    +0,0194 (+0,30%)
     

Festa, insatisfação, deboche e xingamentos a Renato: como foi a volta das duas torcidas no Fla-Flu

·3 min de leitura


Pela primeira vez desde o início da pandemia da Covid-19, o Maracanã voltou a receber duas torcidas na noite deste sábado, para o clássico entre Fluminense e Flamengo. Melhor para o Tricolor, que foi bem e venceu por 3 a 1 com gols de John Kennedy, duas vezes, e Abel Hernández. Renê descontou. Nas arquibancadas, os dois lados fizeram festa e regeram a partida, que terminou com comemoração pelo lado Sul. Foram 10.029 presentes e 9.099 pagantes.

Do lado de fora, o movimento foi tranquilo dos dois lados. As maiores aglomerações se formaram à medida que o início da partida ficou próximo, com torcedores se juntando nas ruas próximas às entradas. Já dentro, o público aqueceu o jogo cantando, mas também ficou próximo nos setores Norte, Sul e Maracanã Mais, com pouco distanciamento, algo que tem sido comum mesmo na pandemia.

Veja a tabela do Brasileirão

​As duas torcidas começaram animadas, mas foi a do Flu quem teve mais motivos para comemorar. Se já cantavam alto antes, após o gol de John Kennedy os tricolores subiram o som. Entre exaltações a Xerém e as músicas tradicionais de arquibancada, além das provocações ao rival, o lado do Fluminense apoiou ao longo dos 90 minutos. No fim, aproveitou para debochar de Renato Gaúcho, treinador do Flamengo, cantando que ele é tricolor.

Pelo lado rubro-negro o que se viu foi insatisfação com os muitos erros da equipe ao longo da partida. Se um lado gritava a cada dividida ganha, o outro reclamava dos lances perdidos e da pouca criatividade. No início do segundo tempo, os cantos de "vamos virar, Mengo" ajudaram a empolgar o Flamengo, que foi para cima. No entanto, com o gol tricolor, as vaias a Renê, que acabou fazendo o gol do Fla, e os xingamentos a Renato Gaúcho só aumentaram à medida que o jogo se encaminhava para o fim. Houve apoio, mas também protestos.

Vale lembrar que 20 mil ingressos foram colocados à venda para o Fla-Flu. A carga menor tem sido comum em partidas com mando do Fluminense, que faz desta forma para reduzir os gastos com a operação do Maracanã. Este foi só o terceiro jogo do Flu que teve a presença do público e a primeira vitória após uma derrota e um empate.

Com o resultado, o Flu vai a 39 pontos na oitava posição e faz jogo atrasado com o Santos na próxima quarta-feira, às 19h. No mesmo dia o Fla decide a semifinal da Copa do Brasil diante do Athletico-PR, no Maracanã, às 21h30. O Rubro-Negro é o terceiro, ultrapassado pelo Fortaleza, com 46 a 48 pontos. O Galo tem 56.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos