Mercado fechado

Ferrovia da MRS é bloqueada na região de Brumadinho por atingidos por barragens

.

SÃO PAULO (Reuters) - Dezenas de integrantes de movimento formado por atingidos pelo rompimento da barragem de Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), bloquearam uma ferrovia na altura do município Mário Campos, na manhã desta terça-feira.

A informação, divulgada pelo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), foi confirmada pela operadora da ferrovia, a MRS Logística, e pela Polícia Militar de Brumadinho, que negocia a liberação da via.

A MRS Logística atua na Malha Sudeste e tem entre os acionistas a Vale, além de outras companhias do setor, como CSN e Gerdau, segundo o site da empresa.

Segundo o movimento, a MRS é responsável pelo transporte da cargas de minério da Vale, dona na barragem que se rompeu no início do ano em Brumadinho.

A MRS disse, por meio de sua assessoria de imprensa, que a manifestação continuava nesta tarde na ferrovia, que transporta vários tipos de produto, sendo a maior parte minério de ferro.

Os manifestantes exigem no protesto que as buscas pelas vítimas do rompimento da barragem de Brumadinho, que matou mais de 250 pessoas, não sejam interrompidas.

Eles querem ainda, segundo uma nota do MAB, que o alto escalão da Vale participe das audiências sobre o auxílio emergencial.


(Por Roberto Samora; com reportagem adicional de Marta Nogueira)