Mercado fechará em 6 h 32 min
  • BOVESPA

    123.291,89
    +1.491,10 (+1,22%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,30
    -0,65 (-0,88%)
     
  • OURO

    1.811,90
    -5,30 (-0,29%)
     
  • BTC-USD

    39.359,70
    -2.136,80 (-5,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    959,64
    +9,74 (+1,03%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,03 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.079,84
    +47,54 (+0,68%)
     
  • HANG SENG

    26.235,80
    +274,77 (+1,06%)
     
  • NIKKEI

    27.781,02
    +497,43 (+1,82%)
     
  • NASDAQ

    15.028,50
    +72,75 (+0,49%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1062
    -0,0818 (-1,32%)
     

Ferroviários cancelam greve nas linhas 11, 12 e 13 marcada para esta terça-feira (20)

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Após decisão de reajuste salarial pela Justiça do Trabalho, os ferroviários das linhas 11-Coral, 12-Safira e 13-Jade cancelaram a greve da categoria marcada para esta terça-feira (20).

Em audiência realizada na tarde de domingo (18), no TRT-2 (Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região), o desembargador Rafael Edson Pugliese Ribeiro definiu que a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) deve conceder aumento salarial aos funcionários das três linhas.

Ao todo, o reajuste deve beneficiar 2.500 trabalhadores representados pelo Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias da Zona da Central Brasil.

Segundo o desembargador, a alta deve ser de 3,63%, para a data-base de 1º de março de 2020, e 6,36%, para a negociação de 2021. Os percentuais têm como base o IPC (Índice de Preços ao Consumidor), medido pela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas).

Com a decisão, encerra-se parte das discussões em torno das campanhas salariais de 2020 e 2021, que eram impasse entre a empresa e os ferroviários. Na semana passada, trabalhadores das linhas 7, 8, 9 e 10 pararam por um dia.

A CPTM terá ainda que aplicar o aumento à folha de pagamentos e fazer a quitação dos atrasados em até 20 dias, sob pena de multa diária no valor de R$ 50 mil.

A decisão de reajuste terá impacto também em direitos como vale-alimentação, vale-refeição, auxílio-materno e gratificações, entre outros benefícios.

Ficou definido que as cláusulas em negociação que não estavam no acordo de 2019 e que ainda estão em discussão, sem consenso, serão analisadas durante o processo de dissídio.

Segundo o secretário-geral do sindicato, Alexandre Mucio, a categoria segue em estado de greve até que haja o pagamento dos valores. "Estamos em estado de greve. Se a CPTM não cumprir a decisão, aí vamos chamar outra assembleia", diz ele.

Mucio conta que os trabalhadores tiveram 12 horas para dar uma resposta à Justiça do Trabalho sobre o cancelamento ou não da greve, o que os obrigou a fazer um consulta aos ferroviários por email e WhatsApp. No entanto, à noite, assembleia presencial retirou o cancelamento da greve.

As linhas 11-Coral, 12-Safira e 13-Jade atendem, por dia, cerca de 550 mil passageiros. Antes da pandemia de Covid-19, eram aproximadamente 700 mil por dia, diz o sindicato.

Procurada, a CPTM não respondeu até o encerramento deste texto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos