Mercado abrirá em 7 h 49 min

Coronavírus: startup cria ferramenta para ajudar produtores locais

Colaboradores Yahoo Finanças
·3 minuto de leitura
Rafael Dal Molin, diretor da Elevor (Foto: Divulgação)
Rafael Dal Molin, diretor da Elevor (Foto: Divulgação)

Por Matheus Mans

Soluções digitais, velozes e de fácil implementação podem ser determinantes nas para conter a crise relacionada ao novo coronavírus. Por isso, algumas startups estão buscando e assumindo soluções para problemas que afetam seus entornos e seus mercados. É o caso da gaúcha Elevor, que desenvolve software de gestão empresarial pra diversos segmentos.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

A empresa criou uma plataforma de compras para ajudar os pequenos produtores de Passo Fundo, no norte do Rio Grande do Sul, a comercializar seus alimentos durante a crise do covid-19. Assim, as pessoas em isolamento social também conseguem ter acesso a frutas, verduras e legumes frescos sem sair de casa. Como se fosse uma espécie de feira online.

Leia também

Além disso, por meio da plataforma, os pequenos produtores de Passo Fundo — que tiveram suas receitas afetadas pela quarentena — podem controlar oferta, preço e demanda.

“A Feira do Pequeno Produtor Rural existe há 30 anos e foi fechada em função da pandemia”, explica Rafael Dal Molin, diretor da startup. “A ideia partiu do gestor do núcleo de inovação da Universidade de Passo Fundo, que lançou um desafio a um grupo de empresários para auxiliar os pequenos produtores. Vimos aderência com nossos produtos”.

Funcionamento

Não há segredos em usar a plataforma. Para comprar dos pequenos produtores, basta estar na região de Passo Fundo, entrar no site e escolher os itens que deseja. Há variedades de frutas, legumes, hortaliças, verduras, leites e até de queijos.

O produtor, enquanto isso, gerencia o estoque direto de sua propriedade. Depois, a entrega é terceirizada com motoristas da Moby, startup gaúcha de mobilidade semelhante ao Uber.

“Um dia antes da entrega, os produtores colhem, produzem ou preparam os produtos, quando há necessidade de preparos, separam e organizam os pedidos”, explica Dal Molin. “As entregas ocorrem nas quartas e sábados e os produtos chegam fresquinhos para os consumidores em suas casas.”

Expansão

A base da tecnologia usada na plataforma já estava 99% pronta, já que é utilizada com outros clientes. A única coisa que foi feita, de fato, foi uma customização para atender as necessidades da feira e dos produtores. Além disso, houve o ensino aos produtores como ir do mundo físico para o digital rapidamente.

Agora, a startup já começa a expandir seus serviços gratuitamente para outras feiras e em parceria com outros pequenos produtores. Só esta semana, vai para Sarandi e Tavares — duas cidades do Rio Grande do Sul.

“Agora que está pronto, este é um modelo facilmente replicável. A ideia é expandir o projeto para outras cidades que estejam interessadas”, afirma o executivo da startup gaúcha de plataformas de gestão. “É um projeto gratuito para ajudar os produtores a disponibilizarem seus produtos e terem alguma renda, enquanto auxiliamos as pessoas que estão em casa”.

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.