Mercado fechado
  • BOVESPA

    93.952,40
    -2.629,76 (-2,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    36.987,86
    +186,49 (+0,51%)
     
  • PETROLEO CRU

    35,72
    -0,45 (-1,24%)
     
  • OURO

    1.878,80
    +10,80 (+0,58%)
     
  • BTC-USD

    13.612,12
    +65,13 (+0,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    265,42
    +1,78 (+0,68%)
     
  • S&P500

    3.269,96
    -40,15 (-1,21%)
     
  • DOW JONES

    26.501,60
    -157,51 (-0,59%)
     
  • FTSE

    5.577,27
    -4,48 (-0,08%)
     
  • HANG SENG

    24.107,42
    -479,18 (-1,95%)
     
  • NIKKEI

    22.977,13
    -354,81 (-1,52%)
     
  • NASDAQ

    11.089,00
    -253,75 (-2,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6872
    -0,0584 (-0,87%)
     

Fernando Diniz tem aproveitamento melhor em 2020 do que no passado

LANCE!
·3 minutos de leitura


Raí, diretor do São Paulo, manteve o tom e garantiu que o técnico Fernando Diniz continuará à frente da equipe na temporada. A fala do ex-jogador veio depois do empate do time contra o Bahia por 1 a 1, no Morumbi, na última quinta-feira, quando o Tricolor mais uma vez deixou a desejar dentro de campo.

- Garanto (o Diniz), o trabalho continua. Vamos dar todas as condições para o Diniz, a confiança nele é total. Foi ele que fez o time que estava produzindo antes da pandemia e é ele que tem todas as condições de fazer o time voltar àquela condição - disse o dirigente após o jogo contra o Bahia.

No entanto, os números mostram que o treinador está melhor neste ano do que no ano passado. Fernando Diniz chegou ao Tricolor paulista em 27 de setembro de 2019 e, em sua estreia, conseguiu empatar por 0 a 0 com o forte Flamengo, que, mais tarde, venceria o Brasileirão e também a Libertadores. Nos três jogos seguintes, conseguiu importantes resultados: vitória sobre o Fortaleza (2 a 1), empate contra o Bahia (0 a 0) e triunfo sobre o rival Corinthians (1 a 0).

No restante da temporada, Diniz somou mais cinco vitórias (Avaí, Atlético-MG, Chapecoense, Vasco e CSA), dois empates (Santos e Ceará) e cinco derrotas (Cruzeiro, Palmeiras, Fluminense, Athletico-PR e Grêmio). Com os resultados, o São Paulo ficou na sexta colocação do Campeonato Brasileiro e conquistou uma vaga para a Libertadores deste ano.

Em 2020, no Paulista, foi eliminado nas quartas de final pelo Mirassol, após perder por 3 a 2 em casa, porém, a campanha para se chegar até ali havia sido de seis vitórias (Água Santa, Ferroviária, Oeste, Ponte Preta, Santos e Guarani), três empates (Palmeiras, Grêmio Novorizontino e Corinthians) e quatro derrotas (Santo André, Botafogo-SP, Bragantino e Mirassol). Já no Brasileirão, são três partidas, com uma vitória (Fortaleza), um empate (Bahia) e uma derrota (Vasco), sem esquecer da Libertadores, com uma vitória sobre a LDU, de Quito.

Diante de todos os números aqui apresentados, temos um total de 33 jogos de Diniz no comando do São Paulo desde seu início, com 15 vitórias, oito empates e dez derrotas, com um aproveitamento de 53,53%. Para comparações, anteriormente, por exemplo, o treinador comandou duas equipes da Série A: Athletico-PR, quando alcançou apenas 25% de aproveitamento (duas vitórias, três empates e sete derrotas); e Fluminense, com 26,7% (três vitórias, três empates e nove derrotas) - esses números apenas consideram os compromissos do Campeonato Brasileiro.

No ano de 2019, pelo Tricolor, Diniz teve um aproveitamento de 52,08%, enquanto, em 2020, ele soma 58,3%, muito alavancado pelos resultados no Paulistão, ainda que com adversários considerados mais fracos e tendo sido eliminado no mata-mata. Talvez o torcedor não deixe de se manifestar, claro, mas esses números podem ancorar uma expectativa, boa, de se alcançar resultados positivos pela frente. A próxima chance de mostrar isso será neste domingo, às 19h, diante do Sport, na Ilha do Retiro.