Mercado fechará em 4 h 19 min

Fernanda Nobre lembra abuso psicológico quando era atriz mirim

Bárbara Saryne
·1 minuto de leitura
A atriz desabafou sobre a infância na TV (Foto: Reprodução/Instagram/@fernandanobre)
A atriz desabafou sobre a infância na TV (Foto: Reprodução/Instagram/@fernandanobre)

Fernanda Nobre não tem apenas lembranças positivas do seu início na televisão. Em uma entrevista ao canal ‘Eu Ator’, a artista citou a primeira novela que fez, aos 8 anos, e revelou ainda sofrer por causa dos abusos psicológicos que aconteceram na época.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter

Segundo a atriz, a TV não é um ambiente para crianças. “Hoje em dia tem o Juizado de Menores. Hoje em dia o camarim das crianças é separado dos nossos. Mas, na minha época não. E, eu fui emendando uma coisa na outra na televisão... (...) Fico vendo o meu currículo e não teve um ano da minha infância que eu não tenha trabalhado. Então, tudo ficou muito prejudicado: os estudos, a questão social”, diz ela.

Leia também

Sem citar detalhes do que realmente aconteceu nos bastidores, Fernanda falou em abusos e argumentou que precisou criar um senso de responsabilidade muito cedo, ou seja, pulou etapas da vida. "Passei por muita coisa, por abuso. Não abuso físico. Mas, abuso emocional, psicológico, coisas que poderiam ser evitadas (...) Eu levava tudo muito a sério. Hoje, olho para trás e, cara, com 21 anos eu estava casando!”, avaliou.

Além das restrições comuns do trabalho, Fernanda diz que sofria com fortes crises de asma e não tinha a liberdade que outras crianças tinham para brincar, por exemplo. “Não podia andar descalça, eu não podia ir na piscina, eu não podia fazer brincadeira de correr, pique esconde, essas coisas assim, porque eu ficava com asma. Eu não podia rir, eu não podia gargalhar, porque gargalhar dava asma... Então, a minha infância foi muito restrita", lamentou.

Veja a entrevista completa: