Mercado fechará em 1 h 44 min
  • BOVESPA

    129.961,88
    +520,85 (+0,40%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.281,14
    -5,32 (-0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,88
    -0,03 (-0,04%)
     
  • OURO

    1.865,00
    -14,60 (-0,78%)
     
  • BTC-USD

    40.140,77
    +2.722,93 (+7,28%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.003,00
    +34,16 (+3,53%)
     
  • S&P500

    4.235,85
    -11,59 (-0,27%)
     
  • DOW JONES

    34.225,30
    -254,30 (-0,74%)
     
  • FTSE

    7.146,68
    +12,62 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    29.161,80
    +213,07 (+0,74%)
     
  • NASDAQ

    14.071,00
    +76,75 (+0,55%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1528
    -0,0398 (-0,64%)
     

Felipe Neto prepara plataforma NFT na blockchain Hathor, diz jornal

·2 minuto de leitura

A Play9, empresa de mídia que tem o youtuber Felipe Neto como um de seus co-fundadores, lançará uma plataforma de vendas de tokens não-fungíveis (NFT).

Segundo informações da coluna de Mônica Bergamo na Folha de S. Paulo, o empreendimento, que foi batizada de 9Block, será lançado ainda nesta semana. O projeto será baseado na blockchain Hathor, um dos projetos brasileiros mais promissores no mundo cripto.

Três artes digitais do próprio influenciador, que possui mais de 42 milhões de seguidores em seu canal, seriam colocadas à venda no lançamento da plataforma. Num futuro próximo, a 9Block estará aberta para outros artistas ofertarem os seus projetos em NFT.

NFT no Brasil

A Play9, uma das maiores gestoras de canais de mídia e Youtube do Brasil, possui clientes como as jornalistas Fátima Bernardes e Gabriela Prioli, os esportistas Vinicius Junior e Marta Silva, e a influenciadora Carol Barcellos.

O lançamento da plataforma poderá sintetizar a entrada destes influenciadores no mercado NFT, aumentando ainda mais a sua expansão no país.

Atualmente, o mercado de tokens não-fungíveis tem atraído a atenção de diversos segmentos no Brasil, com a venda de memes, a criação de plataformas de música e leilões de artes realizados por grandes marcas.

Meio ambiente

Um dos fatores apontados como negativos em relação ao NFT, assim como com os criptoativos em geral, é o possível impacto ambiental que pode ser gerado na produção destes ativos digitais.

Recentemente, a artista brasileira Pabllo Vittar foi criticada no Twitter após anunciar que estava desenvolvendo trabalhos relacionados a NFT. Alguns de seus seguidores a incentivaram a abandonar os projetos, por serem muito poluentes.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Felipe Neto é um apoiador público da causa ambiental, tendo inclusive alegado esse motivo como um dos fatores para ter se tornado vegetariano, e deverá ter que explicar a polêmica envolvendo possíveis danos ambientais da nova plataforma para seus seguidores.

Um trunfo da solução pode ser justamente a blockchain Hathor, que utiliza um mecanismo de consenso que combina DAG, conhecido por seu baixo impacto ambiental, com o proof-of-work do Bitcoin. As transações da rede, por exemplo, não têm custo algum.

Outras plataformas NFT têm olhado com mais atenção para a questão ambiental. A startup brasileira Moss, por exemplo, lançou recentemente um NFT que compensa a emissão de carbono, enquanto um rival mais sustentável da Ethereum pediu registro de marca no Brasil.

Felipe Neto e a empresa 9Play ainda não se posicionaram sobre a suposta nova plataforma para NFT. Por ora, mais detalhes sobre o projeto e a forma de criação dos ativos não foram divulgados.

O artigo Felipe Neto prepara plataforma NFT na blockchain Hathor, diz jornal foi visto pela primeira vez em BeInCrypto.