Mercado abrirá em 7 h 50 min
  • BOVESPA

    118.811,74
    +1.141,74 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.352,18
    -275,52 (-0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,93
    +0,23 (+0,39%)
     
  • OURO

    1.729,70
    -3,00 (-0,17%)
     
  • BTC-USD

    60.583,12
    +175,59 (+0,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.294,32
    -0,26 (-0,02%)
     
  • S&P500

    4.127,99
    -0,81 (-0,02%)
     
  • DOW JONES

    33.745,40
    -55,20 (-0,16%)
     
  • FTSE

    6.889,12
    -26,63 (-0,39%)
     
  • HANG SENG

    28.727,53
    +274,25 (+0,96%)
     
  • NIKKEI

    29.798,37
    +259,64 (+0,88%)
     
  • NASDAQ

    13.791,50
    -17,25 (-0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8192
    -0,0113 (-0,17%)
     

Felipe Neto é intimado a depor por chamar Bolsonaro de genocida

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Youtuber Felipe Neto faz careta
Reprodução
  • Youtuber fez revelação em seu Twitter e falou sobre liberdade de expressão

  • Pedido de intimação foi feito por filho do presidente

  • Felipe Neto explicou nas redes motivo de usar o termo

Em postagem nas suas redes sociais nesta segunda-feira (15), o youtuber Felipe Neto revelou que foi intimado pela polícia a prestar depoimento por chamar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de genocida.

Segundo o próprio Felipe, a intimação acontece após pedido de Carlos Bolsonaro, vereador por São Paulo e filho do presidente. Ele mesmo já pediu a intimação de Neto por “corrupção de menores”.

“A clara tentativa de silenciamento se dá pela intimidação. Eles querem que eu tenha medo, que eu tema o poder dos governantes. Já disse e repito: um governo deve temer seu povo, NUNCA o contrário. Carlos Bolsonaro, vc não me assusta com seu autoritarismo. Não vai me calar”, escreveu Felipe Neto em sua conta no Twitter.

Felipe Neto explica por que usou o termo

O youtuber aproveitou a postagem de sua intimação para esclarecer os motivos que o levaram a chamar o presidente de genocida. Segundo Neto, a atribuição do termo se dá pelo que ele chama de “nítida ausência de política de saúde pública” do governo em meio à pandemia do coronavírus.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

“Minha atribuição do termo “genocida” ao Presidente se dá pela sua nítida ausência de política de saúde pública no meio da pandemia, o que contribuiu diretamente para milhares de mortes de brasileiros. Uma crítica política não pode ser silenciada jamais!”, afirmou o youtuber.