Mercado abrirá em 3 h 30 min
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,69 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,11 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    67,77
    +1,51 (+2,28%)
     
  • OURO

    1.781,40
    -2,50 (-0,14%)
     
  • BTC-USD

    48.077,11
    -1.323,51 (-2,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.230,07
    -211,69 (-14,68%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,72 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.172,17
    +49,85 (+0,70%)
     
  • HANG SENG

    23.349,38
    -417,31 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    27.927,37
    -102,20 (-0,36%)
     
  • NASDAQ

    15.771,75
    +54,00 (+0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3739
    -0,0214 (-0,33%)
     

Feiras versus supermercado: qual a melhor opção para economizar nas compras?

·4 min de leitura
Ter uma lista de compras, comparar ofertas e anúncios, comprar em dias específicos de ofertas de algumas categorias, optar por marcas próprias do estabelecimento são dicas para se economizar neste momento. Getty Image.
Ter uma lista de compras, comparar ofertas e anúncios, comprar em dias específicos de ofertas de algumas categorias, optar por marcas próprias do estabelecimento são dicas para se economizar neste momento. Getty Image.
  • Especialistas dão dicas de como economizar até 30% nas compras;

  • A ideia é comprar semanalmente apenas o que precisa, abrindo espaço para boas promoções;

  • Desvalorização do real encareceu produtos importados pelo Brasil.

Com a alta frequente do preço dos alimentos, o Yahoo! Finanças preparou algumas dicas de especialistas para garantir que o consumidor não vá ao supermercado e volte com as sacolas vazias. "Ter uma lista de compras e segui-la, comparar folhetos de ofertas e anúncios, fazer compras em dias específicos de ofertas de algumas categorias, optar por marcas próprias do estabelecimento e testar outras marcas são dicas para se economizar neste momento", orienta Marco Quintarelli, consultor de Varejo. 

A lista, ainda que seja uma estratégia 'das antigas', pode salvar o orçamento. "Além disso, acompanhar as ofertas oferecidas pelo estabelecimento, adquirir produtos de época, como frutas legumes e verduras da sazonalidade, optar por marcas próprias do estabelecimento, poderá economizar até 30% em suas compras", revela o consultor. 

Leia também:

Feiras versus supermercado: qual a melhor opção?

Em determinados momentos, ir ao supermercado pode não ser a melhor escolha, ainda que seja o primeiro destino do consumidor. "Quando falamos de produtos altamente perecíveis como carne bovina e suína, aves, pescados e ovos, o mercado é o mais indicado. Frutas, legumes e verduras também principalmente quanto a preços melhores. A feira é o melhor lugar para se encontrar geralmente itens específicos e de pouca oferta que o supermercado não consegue oferecer", garante Quintarelli. 

Veja quais as frutas mais em conta no supermercado em Outubro:

  • acerola

  • mamão

  • laranja

  • abacaxi

  • banana

  • caju

  • manga

  • melão

  • uva

  • graviola

  • laranja

os legumes com preço mais barato em Outubro são:

  • cebola

  • berinjela

  • beterraba 

  • brócolis

  • pepino

  • batata

  • cenoura

  • couve-flor

  • ervilha

  • pimentão

  • tomate.

O clima influencia em diversos fatores na hora de reajuste dos preços nas prateleiras. Segundo André Braz, professor do Instituto Brasileiro de Economia da FGV, os alimentos de feira livre, que são alimentos in natura, podem ficar relativamente mais baratos com volta das chuvas.

"Porém, chuvas em excesso, principalmente com a chegada do verão, também não são boas para produtividade in natura. Então dificilmente teremos produtos alimentícios que possam ficar muito mais baratos. Infelizmente, o contexto é de alta do preço, pelo menos da maioria dos mais importantes", explica. 

Acompanhar o preço daquilo que ele compra no dia a dia; fazer uma pesquisa de preços, em casa mesmo e não comprar tudo de uma vez, como se fazia antigamente, é a principal dica de Braz. A ideia é comprar semanalmente e apenas o necessário, pois isso abre espaço para boas promoções. 

Como driblar o mercado?

Braz avalia que é preciso 'driblar' os grandes supermercados para garantir os preços mais em conta. "Se você já tiver comprado o que precisa, não se consegue aproveitar ofertas. Assim, o consumidor abre espaço para que a concorrência se manifeste com intenção de atrair consumidor para sua loja", explica o economista da Fundação Getúlio Vargas. 

Assim, aproveita-se períodos no mês em que as promoções de maior efeito aparecem. "Grande parte dos salários são pagos até o dia 10 de cada mês. Então, nesse período, o supermercado tem que fazer pouco esforço para convencer o consumidor visitar uma loja. Depois do dia quinze, o empresário ele sabe que ele vai ter que continuar pagando as contas, então aumentam as chances de promoções nesse período". 

A organização em casa também pode ser uma forma de economizar. Quintarelli defende que o cardápio semanal familiar seja adotado e, assim, a família estará planejando com antecedência o que será comprado e quanto de cada gênero deverá ser utilizado. 

"Diminui-se o desperdício e o investimento será planejando. Além de comprar a quantidade adequada para ser utilizada no cardápio, deve se optar por escolher produtos da época por serem mais baratos e/ou ofertas do período", ressalta.

Quais os motivos para preços tão altos?

Os alimentos ficaram mais caros desde 2020 por várias razões, e a desvalorização da moeda brasileira contribuiu para isso. "Tivemos quebra de safra em alguns produtos básicos, como arroz e região; o aumento da demanda doméstica por conta da pandemia, com todos em residência fazendo as principais refeições no lar; a dispensa precisou ser reforçada da noite por dia, aumentando demanda. E tivemos problema com o dólar: nossa moeda desvalorizou absurdamente". 

E completa: "Essa desvalorização traz dois problemas: encarece aquilo que a gente importa (o trigo, por exemplo, vem mais caro, e aí farinhas de trigo e o pão francês vão na esteira), e também estimula as exportações brasileiras. Na medida que a nossa moeda de valoriza, é como se o nosso país tivesse uma vitrine em promoção: nosso produtos ficam mais baratos, todo mundo quer comprar", compara Braz. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos