Mercado abrirá em 7 h 18 min

Feirão do emprego que faz fila quilométrica no Anhangabaú deve ocorrer em agosto

MARIANA GRAZINI
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 26.03.2019 - Feirão do emprego no Vale do Anhangabaú. (Foto Danilo Verpa/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O mutirão do emprego do vale do Anhangabaú, que forma filas de milhares de pessoas na região central da capital paulista, está sendo planejado para agosto.

Segundo Ricardo Patah, presidente da central UGT (União Geral dos Trabalhadores), organizadora do evento em parceria com sindicatos, as entidades estão construindo plataformas virtuais com empresas especializadas para colocar o projeto de pé, mas algumas entrevistas podem ser feitas no próprio Sindicato dos Comerciários, a depender do cenário da pandemia na ocasião.

"O sindicato está aberto. Se, em agosto, tiver condições e, com toda a precaução, a gente puder fazer algumas entrevistas aqui, tudo bem. Mas, se não houver, a maior parte delas vai ser feita virtualmente", diz.

Segundo ele, a fila terá de ser online, com a ordem de chegada definida pelo acesso remoto ao sistema.

A ideia é reunir vagas para as vendas do comércio no fim do ano, segundo Patah, que ainda não tem previsão da quantidade de postos de trabalho que devem aparecer.

"Esse ano é atípico, mas mesmo assim é necessário. Muita gente foi dispensada, mais de 70 mil só do comércio em São Paulo. Historicamente, setembro é o mês em que iniciam os contratos das atividades sazonais", diz Patah.

No último mutirão, realizado em setembro do ano passado, Patah afirma que mais de 65% das cerca de 10 mil vagas foram preenchidas. Os eventos costumam ter mais candidatos do que vagas, mas não terminam com todos os postos preenchidos por falta de qualificação e outras questões.