Mercado abrirá em 4 h 46 min

Federação afasta árbitro que errou contra o SP, mas é incoerente com o VAR só no mata-mata do Paulista

Árbitro Flávio Mineiro foi afastado após péssima arbitragem e prejuízos ao São Paulo no empate com o Novorizontino. Foto: Marcello Zambrana/AGIF

A diretoria da Federação Paulista de Futebol afastou o trio de arbitragem que trabalhou no empate entre São Paulo e Novorizontino, no Morumbi.O árbitro Flávio Roberto Mineiro Ribeiro e os auxiliares Vitor Carmona Metestaine e Enderson Emanoel Turbiani da Silva foram punidos e passarão por reciclagem. O jogo terminou 1 a 1, mas o São Paulo foi claramente prejudicado com dois gols mal anulados e dois pênaltis não marcados. Os dirigentes tricolores reclamaram com muita razão e o São Paulo deveria ter vencido, se não houvessem tantos erros claros e fáceis de acertar.

Agora, apesar da atitude correta sobre os apitadores, a Federação mostra uma incoerência absurda ao adotar o uso do VAR apenas a partir das quartas-de-final. O árbitro errou porque ele foi ruim. Se o VAR existisse no Paulista, nada disso teria acontecido e o São Paulo seria o vencedor, corretamente.

Para termos uma ideia, um time pode sofrer danos na busca pela classificação ou na luta contra o rebaixamento. Então, dane-se a primeira fase sobre a arbitragem. Quem errar será afastado, como deve ser. Só que se a Federação não fosse tão pão-dura, a lisura das atuações seria mantida e a competição seguiria na sua total normalidade.

A mesma coisa aconteceu no clássico entre Corinthians e Santos. O lateral Fagner seria expulso por entrada duríssima em Felipe Jonathan se houvesse o VAR e o jogo poderia ter o rumo alterado. O árbitro Luiz Flávio de Oliveira não viu o lance e não deu nem cartão.

Será que é bom para o torneio, que a principal tecnologia do futebol seja adotada somente no mata-mata? Inexplicável e injustificável.