Mercado fechará em 5 h 22 min
  • BOVESPA

    107.437,84
    -499,27 (-0,46%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.890,59
    -708,79 (-1,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,46
    +0,15 (+0,18%)
     
  • OURO

    1.841,10
    -0,60 (-0,03%)
     
  • BTC-USD

    36.394,08
    +2.945,54 (+8,81%)
     
  • CMC Crypto 200

    827,65
    +17,05 (+2,10%)
     
  • S&P500

    4.410,13
    +12,19 (+0,28%)
     
  • DOW JONES

    34.364,50
    +99,13 (+0,29%)
     
  • FTSE

    7.366,47
    +69,32 (+0,95%)
     
  • HANG SENG

    24.243,61
    -412,85 (-1,67%)
     
  • NIKKEI

    27.131,34
    -457,03 (-1,66%)
     
  • NASDAQ

    14.156,00
    -345,00 (-2,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2136
    -0,0151 (-0,24%)
     

Fed provavelmente discutirá redução mais rápida de estímulos na próxima reunião, diz Powell

·2 min de leitura
Chair do Fed, Jerome Powell, pepara-se para falar diante do Comitê Bancário do Senado dos EUA

Por Lindsay Dunsmuir

(Reuters) - O chair do Federal Reserve, Jerome Powell, disse nesta terça-feira que o banco central dos Estados Unidos provavelmente discutirá a aceleração da redução de suas compras de títulos em sua próxima reunião de política monetária, em meio à força da economia e a expectativas de que a inflação elevada persistirá até meados do próximo ano.

"Neste ponto a economia está muito forte e as pressões inflacionárias estão altas e, portanto, é apropriado, a meu ver, considerar encerrar a redução das nossas compras de ativos -- que de fato anunciamos na reunião de novembro -- talvez alguns meses mais cedo, e espero discutir isso em nossa próxima reunião, dentro de duas semanas", disse Powell em audiência ao Comitê Bancário do Senado dos EUA.

O Fed começou a reduzir seu apoio à economia neste mês e atualmente está em vias de encerrar totalmente seus 120 bilhões de dólares em compras mensais de Treasuries e títulos lastreados em hipotecas até junho do ano que vem. O programa foi introduzido no início de 2020 para ajudar a proteger a economia durante a pandemia de Covid-19.

Várias autoridades do Fed já haviam defendido que o banco central acelerasse o ritmo de corte de estímulo para encerrá-lo em algum momento da primavera (no Hemisfério Norte), de forma a permitir um início mais cedo dos aumentos de juros nos EUA, caso isso seja necessário para controlar a inflação.

As observações de Powell parecem sugerir que ele está pronto para se juntar a esses colegas em favor de uma redução mais rápida das compras de ativos.

Sua fala vem em meio a turbulência nos mercados financeiros devido ao surgimento de uma nova variante do coronavírus, que poderia ser resistente às vacinas. Nos últimos dias, essas notícias levaram os mercados a adiarem suas expectativas para o momento do início dos aumentos de juros pelo banco central norte-americano.

Mas os comentários de Powell sobre ritmo de redução de estímulos potencialmente mais rápido e de que a inflação não deve mais ser considerada um fenômeno "transitório" reverteram parte dessas apostas, elevando os rendimentos dos títulos.

O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), responsável pela definição da política monetária, realizará sua próxima reunião em 14 e 15 de dezembro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos