Mercado abrirá em 7 h 55 min
  • BOVESPA

    106.419,53
    -2.295,02 (-2,11%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.206,59
    +372,79 (+0,72%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,09
    -0,56 (-0,66%)
     
  • OURO

    1.790,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    60.688,43
    -2.089,62 (-3,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.475,27
    -29,88 (-1,99%)
     
  • S&P500

    4.574,79
    +8,31 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    35.756,88
    +15,73 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.277,62
    +54,80 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    25.626,51
    -411,76 (-1,58%)
     
  • NIKKEI

    28.926,20
    -179,81 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    15.539,75
    -5,25 (-0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4582
    +0,0041 (+0,06%)
     

Fed não deverá subir os juros em 2022, diz economista do Goldman

·1 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O crescimento mais lento dos EUA no próximo ano significará que o Federal Reserve levará tempo para elevar os juros, de acordo com o economista-chefe do Goldman Sachs.

Most Read from Bloomberg

Embora se espere que a redução gradual das compras de ativos seja anunciada na próxima reunião do Fed, esse processo levará meses e os juros não subirão até 2023, disse Jan Hatzius, em entrevista à Bloomberg Television na segunda-feira.

“O que acontece quando você entra em 2022 e eu acho que vai ser uma narrativa de desaceleração mais cíclica também com quedas na inflação”, afirmou ele a Tom Keene e Jonathan Ferro. “Nesse ambiente, não acho que eles vão passar diretamente para a alta dos juros” e qualquer decisão seria dependente de dados econômicos.

O Fomc manteve as taxas perto de zero em sua reunião de setembro e disse que o início da redução das compras de ativos, hoje em US$ 120 bilhões por mês, “pode ser garantido em breve” se a economia continuar a progredir. O presidente do Fed, Jerome Powell, sinalizou que o processo já poderia começar na reunião de 2 a 3 de novembro.

Dados de setembro, publicados na semana passada, mostraram que a criação de vagas de trabalho registrou o menor avanço deste ano nos EUA.

O Goldman Sachs cortou sua previsão de crescimento para o próximo ano.

“No curto prazo, acho que há alguns motivos para esperar um crescimento mais forte”, disse ele. “Mais adiante, acredito que o crescimento será significativamente mais lento.”

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos