Mercado fechará em 2 h 10 min
  • BOVESPA

    108.527,74
    +698,02 (+0,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.904,64
    -430,87 (-0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,23
    +0,09 (+0,12%)
     
  • OURO

    1.885,40
    +0,60 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    22.866,22
    -109,17 (-0,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    526,78
    -10,11 (-1,88%)
     
  • S&P500

    4.119,97
    -44,03 (-1,06%)
     
  • DOW JONES

    33.960,99
    -195,70 (-0,57%)
     
  • FTSE

    7.885,21
    +20,50 (+0,26%)
     
  • HANG SENG

    21.283,52
    -15,18 (-0,07%)
     
  • NIKKEI

    27.606,46
    -79,01 (-0,29%)
     
  • NASDAQ

    12.543,50
    -233,25 (-1,83%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5941
    +0,0170 (+0,30%)
     

Fed deve interromper ciclo de aperto com juro pouco abaixo de 5% em meio a desaceleração da inflação

Prédio do Federal Reserve em Washington D.C.

Por Ann Saphir

(Reuters) - A redução da inflação permitirá que o Federal Reserve entregue um aumento de apenas 0,25 ponto percentual nos juros em sua próxima reunião e, finalmente, pare de aumentar os custos dos empréstimos antes de chegarem a 5%, apostavam operadores nesta quinta-feira.

Depois que o Departamento do Trabalho dos Estados Unidos informou que os preços ao consumidor caíram em dezembro sobre novembro e o presidente do Fed da Filadélfia, Patrick Harker, disse que aumentos de juros de 0,25 ponto agora seriam apropriados, operadores de futuros de juros de curto prazo aumentaram as apostas num caminho mais lento e raso de endurecimento da política monetária à frente.

Os futuros da taxa básica do Fed agora refletem cerca de 95% de probabilidade de que o banco central dos EUA elevará a faixa-alvo dos juros para 4,5% a 4,75%, ante faixa atual entre 4,25% e 4,5%, em sua reunião de 31 de janeiro a 1 de fevereiro.

A taxa básica de juros deve encerrar o atual ciclo na faixa de 4,75% a 5%, com o Fed revertendo o curso para cortar os custos dos empréstimos no segundo semestre do ano, sugerem os futuros.

No ano passado, a maioria dos ajustes do Fed nos juros foram em incrementos de 75 pontos-base, já que as autoridades buscavam apertar a política monetária rapidamente para reduzir a inflação, a mais alta em 40 anos.

Os dados desta quinta-feira mostraram que os preços ao consumidor subiram 6,5% nos 12 meses até dezembro, ainda muito acima da meta de 2% do Fed, mas o ritmo mais lento em mais de um ano e um sinal de que a inflação está indo na direção certa, disseram analistas.

"A desinflação está ganhando força à medida que entramos em 2023, dando o 'sinal verde' para o Fed diminuir o ritmo acelerado do aperto da política monetária", escreveu o economista-chefe da EY Parthenon, Gregory Daco. "Continuamos com a opinião de que o Fed aumentará a taxa apenas duas vezes em 25 pontos-base no início de 2023 e que fará uma pausa em seu ciclo de aperto em 4,75-5,00%."