Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    47.426,33
    -970,84 (-2,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.282,75
    -226,75 (-1,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Fed deve anunciar redução gradual em novembro, diz ex-membro do banco central

·1 minuto de leitura
Prédio do Federal Reserve em Washington

Por Lisa Pauline Mattackal

(Reuters) - O Federal Reserve deve anunciar a redução gradual de suas compras de ativos em novembro e iniciar o processo um mês depois, disse o ex-membro do banco central dos Estados Unidos Dennis Lockhart nesta quinta-feira.

Esperar até novembro dará às autoridades mais dados sobre a recuperação do mercado de trabalho e o crescimento econômico, disse Lockhart no Reuters Global Markets Forum (GMF).

Mas Lockhart, que foi presidente do Fed de Atlanta de 2007 a 2017, alertou que "dois próximos meses particularmente ruins" podem adiar esse cronograma.

A reunião de setembro do Fed será a primeira desde o simpósio de Jackson Hole, onde o chair, Jerome Powell, disse somente que a redução poderia ocorrer "neste ano".

Lockhart acredita que os mercados financeiros devem absorver o processo de redução de estímulos sem muita volatilidade, mas que o Fed deve se preocupar com a agitação persistente do mercado caso ela afete a economia real.

Atualmente membro sênior da Harvard Kennedy School, Lockhart vê a inflação como transitória "por enquanto".

Essas pressões de preços podem durar até 2022, tornando vital gerenciar as expectativas de inflação, disse ele.

(Por Lisa Mattackal e Aaron Saldanha em Bengaluru)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos