Mercado fechará em 6 h 37 min
  • BOVESPA

    100.934,12
    +170,52 (+0,17%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.294,83
    +553,33 (+1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,74
    +1,17 (+1,07%)
     
  • OURO

    1.824,20
    -0,60 (-0,03%)
     
  • BTC-USD

    20.986,58
    -244,61 (-1,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    458,76
    -3,04 (-0,66%)
     
  • S&P500

    3.900,11
    -11,63 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    31.438,26
    -62,42 (-0,20%)
     
  • FTSE

    7.343,65
    +85,33 (+1,18%)
     
  • HANG SENG

    22.418,97
    +189,45 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    27.049,47
    +178,20 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    12.070,50
    +30,00 (+0,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4717
    -0,0724 (-1,31%)
     

Fed deve agir agressivamente contra a inflação, diz Bullard

James Bullard, presidente do Fed de St. Louis

(Reuters) - O Federal Reserve tem que agir corajosamente para elevar a taxas de juros a fim de conter a inflação antes que as expectativas mais altas se tornem enraizadas, disse o presidente do Federal Reserve de St. Louis, James Bullard, nesta sexta-feira.

"Temos que agir de forma direta e agressivamente para que a inflação se inverta e fique sob controle... ou você poderá sofrer uma década de inflação alta e variável", disse Bullard durante um painel de discussão sobre bancos centrais e inflação organizado pelo UBS em Zurique, Suíça.

"Portanto, antecipe hoje, coloque a inflação sob controle e coloque a inflação de volta no caminho dos 2%", acrescentou Bullard.

Na semana passada, o Fed elevou sua taxa básica de juros em 0,75 ponto percentual, maior dose de aperto desde 1994, para uma faixa de 1,50% a 1,75%, e sinalizou que os custos dos empréstimos chegarão a 3,4% até o final deste ano.

Bullard disse anteriormente que deseja ver a taxa básica de juros do Fed em 3,5% até o final de 2022, um ponto que ele repetiu nesta sexta-feira. Uma vez que os custos dos empréstimos subam o suficiente para pressionar a inflação para baixo e as forças desinflacionárias tomarem conta, o banco central pode começar a cortar os juros, disse ele.

O chefe do Fed de St. Louis também minimizou o risco de recessão, dizendo que os aumentos de juros provavelmente desacelerarão a economia para um ritmo de tendência de crescimento, em vez de abaixo da tendência.

"Estes são os estágios iniciais de uma expansão dos EUA... a menos que sejamos atingidos por algum choque ou algo assim, seria incomum voltar à recessão neste estágio", disse Bullard.

(Reportagem de Lindsay Dunsmuir)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos