Mercado fechará em 2 h 17 min
  • BOVESPA

    107.334,51
    +1.292,03 (+1,22%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.025,20
    +120,14 (+0,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    42,89
    +0,47 (+1,11%)
     
  • OURO

    1.830,40
    -42,00 (-2,24%)
     
  • BTC-USD

    18.183,50
    -271,25 (-1,47%)
     
  • CMC Crypto 200

    358,63
    -2,79 (-0,77%)
     
  • S&P500

    3.558,22
    +0,68 (+0,02%)
     
  • DOW JONES

    29.403,81
    +140,33 (+0,48%)
     
  • FTSE

    6.347,71
    -3,74 (-0,06%)
     
  • HANG SENG

    26.486,20
    +34,66 (+0,13%)
     
  • NIKKEI

    25.527,37
    -106,93 (-0,42%)
     
  • NASDAQ

    11.815,75
    -90,00 (-0,76%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4317
    +0,0518 (+0,81%)
     

Fed: atividade econômica melhora nos EUA, mas perspectivas são incertas

·1 minuto de leitura
(Arquivo) O presidente do Fed, Jerome Powell
(Arquivo) O presidente do Fed, Jerome Powell

A atividade econômica nos Estados Unidos melhora na maioria das regiões do país, mas permanece abaixo do nível pré-pandêmico e as perspectivas são incertas, de acordo com um relatório do Federal Reserve (Fed) publicado nesta quarta-feira.

O emprego se beneficiou desse aumento da atividade econômica, principalmente em setores como lazer e recreação, hotelaria e vendas no varejo.

As empresas consultadas pelo Fed relatam dificuldades em conseguir que seus funcionários voltem ao trabalho ou em recontratá-los, devido a preocupações com o coronavírus, problemas com creches e um seguro-desemprego mais generoso até o final de julho.

"A perspectiva permanece altamente incerta", explicou o Fed em seu relatório conhecido como "Livro Bege".

As empresas começaram a reabrir e as vendas no varejo melhoraram em todo o país, mas houve algumas novas demissões e o emprego também está bem abaixo do nível pré-pandêmico, apontou o texto.

O relatório foi divulgado antes de 6 de julho, quando os casos de coronavírus começaram a aumentar em estados como Flórida, Texas e Arizona, e algumas autoridades estaduais recuaram na reabertura de suas economias.

Algumas empresas conseguiram manter o número de funcionários graças à ajuda do governo, mas outras não sabem ao certo se conseguirão manter os empregos.

"A força do processo determinará se eles podem evitar demissões", resumiu o relatório.