Mercado fechado

Febraban alerta para cuidados com transações bancárias depois de roubo de celulares

·2 min de leitura
Woman use gadget mobile smartphone earn money online with dollar icon pop up. Business fintech technology on smartphone concept.
Relatos recentes alertam sobre criminosos que roubam celulares fazem transações bancárias
  • Quadrilhas têm roubado smartphones e feito transações bancárias

  • Febraban recomenda ativar a tela de bloqueio

  • Federação também recomenda não salvar senhas em sites e não anotá-las em nenhum lugar no celular

Em relação à recentes ações de quadrilhas que roubam celulares e depois fazem transações bancárias, a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) explica que aplicativos de instituições financeiras são modernos e têm máxima segurança do desenvolvimento até a utilização. Assim, o órgão diz que não existe violação de segurança nos apps, já o uso de senha pelo cliente é obrigatório. As informações são do jornal O Dia.

Leia também:

Ainda em relação a esse caso, o Procon-SP já notificou fabricantes de smartphones, além de dez bancos e três associações do setor financeiro, pedindo explicações sobre como funcionam as ferramentas de segurança.

Dicas e cuidados

Apesar de garantir uma maior segurança nos aplicativos, a Febraban fez uma lista de cuidados que os usuários devem tomar para que outras informações não ajudem os criminosos, que geralmente roubam os celulares nas ruas.

A primeira dica é sempre ativar o bloqueio de tela do celular, com digital, senha ou padrão. Segundo a federação, também é importante não deixar senhas salvas em sites ou navegadores, nem repetir a senha usada para acessar o aplicativo do banco em outros serviços, sites ou apps.

A Febraban também orienta a não anotar senhas nem em papel e nem no celular, em mensagens do WhatsApp, e-mail, bloco de notas ou de outros modos.

Por fim, caso seja roubado, o cliente deve acionar o banco imediatamente e, além do bloqueio de outros serviços, o bloqueio do aplicativo do banco também deve ser feito. Outras medidas são pedir ligar para a operadora de telefonia e registrar um Boletim de Ocorrência.