Mercado fechará em 3 h 32 min
  • BOVESPA

    113.423,75
    -88,63 (-0,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.482,60
    -319,08 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,97
    +0,44 (+0,51%)
     
  • OURO

    1.775,20
    -14,50 (-0,81%)
     
  • BTC-USD

    23.408,60
    -453,40 (-1,90%)
     
  • CMC Crypto 200

    555,65
    -17,16 (-3,00%)
     
  • S&P500

    4.266,92
    -38,28 (-0,89%)
     
  • DOW JONES

    33.933,97
    -218,04 (-0,64%)
     
  • FTSE

    7.515,75
    -20,31 (-0,27%)
     
  • HANG SENG

    19.922,45
    +91,93 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    29.222,77
    +353,86 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    13.437,75
    -220,50 (-1,61%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2622
    +0,0304 (+0,58%)
     

Favorito à presidência da Ucrânia, o comediante Zelenski promete 'quebrar o sistema'

O grande favorito para a eleição presidencial na Ucrânia, o comediante Volodimir Zelenski, prometeu nesta sexta-feira "quebrar o sistema" num debate com o atual presidente do país, Petro Poroshenko, dentro do estádio olímpico de Kiev diante de milhares de pessoas.

A dois dias do segundo turno, o ator de 41 anos, novato na política mas um "showman" profissional, e o presidente de 53 anos debateram sob os aplausos e vaias da gigantesca plateia.

"Estou convencido que poderemos quebrar o sistema, com gente correta, com outra mentalidade, uma mentalidade do século XXI", concluiu Zelenski após uma hora de debate. "O problema já não é estar cercado de corruptos (...) e sim que venham a nos roubar por mais cinco anos".

Este debate era muito aguardado, principalmente para se conhecer o candidato Zelenski, que fez campanha quase exclusivamente nas redes sociais. O comediante, com 20 anos de carreira nos palcos, usou muitas frases fortes e se apresentou como uma pessoa "simples" contra o "presidente mais rico" da história da Ucrânia.

"Não se pode brincar com o país", respondeu Poroshenko, que desde o começo do debate denunciou "a incompetência total" de seu adversário. "Um ator sem experiência não pode liderar uma guerra contra o agressor russo", disse.

Kiev e as potências ocidentais acusam Moscou de apoiar militarmente os separatistas pró-russos que controlam uma parte do leste da Ucrânia.

O debate, organizado no fim da campanha oficial, era a última oportunidade do presidente Poroshenko para ganhar pontos e diminuir a distância de seu rival, que tem 70% das intenções de voto de acordo com as pesquisas eleitorais.

Desde o início da corrida presidencial, Poroshenko se apresenta como a única barreira contra a Rússia de Vladimir Putin, e insistiu nos últimos dias nos riscos de um salto em direção ao desconhecido para o país que enfrenta sua pior crise desde a independência em 1991.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos