Mercado abrirá em 2 h 53 min
  • BOVESPA

    109.786,30
    +2.407,38 (+2,24%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.736,48
    +469,28 (+1,11%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,36
    +0,45 (+1,00%)
     
  • OURO

    1.808,00
    +3,40 (+0,19%)
     
  • BTC-USD

    19.066,34
    +212,35 (+1,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    378,01
    +8,26 (+2,23%)
     
  • S&P500

    3.635,41
    +57,82 (+1,62%)
     
  • DOW JONES

    30.046,24
    +454,97 (+1,54%)
     
  • FTSE

    6.449,93
    +17,76 (+0,28%)
     
  • HANG SENG

    26.669,75
    +81,55 (+0,31%)
     
  • NIKKEI

    26.296,86
    +131,27 (+0,50%)
     
  • NASDAQ

    12.108,25
    +32,25 (+0,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4054
    +0,0085 (+0,13%)
     

Faturamento da IAG (British Airways e Iberia) cai 83% no 3º trimestre pela pandemia

·1 minuto de leitura
Aviões da British Airways no aeroporto de Heathrow, em 8 de junho de 2020
Aviões da British Airways no aeroporto de Heathrow, em 8 de junho de 2020

O grupo IAG anunciou nesta quinta-feira uma queda de 83% do faturamento no terceiro trimestre e um prejuízo operacional de 1,3 bilhão de euros (1,54 bilhão de dólares) devido ao impacto da pandemia no tráfego aéreo

No ano passado, no terceiro trimestre o grupo registrou um lucro operacional de 1,4 bilhão de euros (1,65 bilhão de dólares) no período, antes de gastos excepcionais.

Em seus resultados preliminares, o grupo matriz da British Airways e da Iberia, entre outras companhias aéreas, adverte que devido às novas restrições de viagens pela segunda onda de covid-19 sua capacidade de voo será de apenas 30% no quarto trimestre na comparação com 2019.

ved/lth/pc/zm/fp