Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    34.091,35
    +438,10 (+1,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

Fase 2 do open banking é adiada para 13 de agosto; entenda

·2 minuto de leitura
Transfer money by smart phone. vector illustration
Transfer money by smart phone. vector illustration
  • As instituições disseram que estão finalizando testes para certificação

  • Dados só serão compartilhados com a devida autorização dos clientes

  • Open banking completo deve ser implementado até 2031

O Banco Central anunciou nesta manhã (14) o adiamento da fase 2 do open banking, prevista para amanhã (15). Agora, o processo deve acontecer em 13 de agosto.

O pedido de alteração foi feito pela estrutura de governança do open banking, que tem a participação de entidades do sistema financeiro. As instituições disseram que estão finalizando testes para certificação de APIs, uma espécie de interface tecnológica em que há troca de informações entre as instituições participantes.

A expectativa é de que partir de 13 de agosto essas entidades poderão compartilhar entre si dados de cadastros e de transações de seus clientes. Sempre é bom ressaltar que esses dados só serão compartilhados com a devida autorização dos clientes. E eles também podem pedir, a qualquer momento, para remover uma informação antes autorizada

Esse cruzamento de dados, na teoria, fará com que os clientes possam ter taxas mais competitivas e serviços adequados para cada perfil.

Otávio Damaso, diretor de regulação do Banco Central, disse ao Valor Investe que um dos principais objetivos da instituição é auxiliar na formatação de um sistema financeiro "mais competitivo, inovador e eficiente", com a facilidade da portabilidade de dados, sem necessariamente migrar totalmente de banco.

A projeção é que o open banking esteja implementado de forma completa no sistema financeiro brasileiro entre 5 e 10 anos.

De onde surgiu a ideia

O modelo brasileiro começou a ser desenhado em 2018 e foi inspirado no Reino Unido, que chegou a 1,1 milhão de usuários dois anos após sua estreia. 

Outros países que estão adotando o open banking são Rússia, Austrália, México, Índia, Nova Zelândia, Coreia do Sul, Japão, Arábia Saudita, Quênia e Nigéria.

O que é o open banking

O Open Banking, ou sistema financeiro aberto, é a possibilidade de clientes de produtos e serviços financeiros permitirem o compartilhamento de suas informações entre diferentes instituições autorizadas pelo Banco Central e a movimentação de suas contas bancárias a partir de diferentes plataformas e não apenas pelo aplicativo ou site do banco, de forma segura, ágil e conveniente.

Com acesso aos dados dos usuários, instituições participantes poderão fazer ofertas de produtos e serviços para clientes de seus concorrentes, com benefícios para o consumidor, que poderá obter tarifas mais baixas e condições mais vantajosas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos