Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,17 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,14 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.877,70
    -53,10 (-2,75%)
     
  • BTC-USD

    23.464,65
    +13,71 (+0,06%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,93 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5385
    +0,0488 (+0,89%)
     

Farmácias poderão vender pílulas abortivas nos EUA

A FDA (Food and Drug Administration, órgão de saúde dos EUA) começou o ano com uma decisão polêmica: a liberação de vendas de pílulas abortivas em farmácia. O medicamento em questão é o Mifeprex (Mifepristona), que pode interromper uma gravidez de até dez semanas.

Até então, os pacientes que procuravam pílulas abortivas tinham que passar por todo um processo para acessar a medicação. Primeiro, era necessário obter uma receita e depois esperar que ela fosse enviada por correspondência, pelas poucas farmácias, clínicas especializadas ou médicos que tivessem a autorização para a venda.

Com a mudança, que vem para tornar mais rápido o acesso ao medicamento, agora, as farmácias podem optar por vender as pílulas se inscrevendo na FDA e seguindo as diretrizes da agência, que incluem treinamento para farmacêuticos, por exemplo.

Mas mesmo com essa venda autorizada, vale mencionar que os pacientes ainda precisam de prescrição médica para obter os comprimidos.

EUA passa a permitir venda de pílulas abortivas em farmácia (Imagem: Gargantiopa/Envato Elements)
EUA passa a permitir venda de pílulas abortivas em farmácia (Imagem: Gargantiopa/Envato Elements)

O acesso através do correio também continua funcionando normalmente. No entanto, nas orientações da agência de saúde, a compra virtual do medicamento não é incentivada. "A FDA não recomenda comprar mifepristona online ou transportá-la pessoalmente de um país estrangeiro. Se uma pessoa fizer isso, estará ignorando importantes diretrizes especificamente projetadas para proteger sua saúde”, diz o comunicado.

Uma das pílulas abortivas, a mifepristona bloqueia a atividade da progesterona (hormônio necessário para manter uma gravidez) no útero. Isso faz dela um agonista parcial do recetor da progesterona, que em pequenas doses, costuma er usada também como contraceptivo de emergência.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: