Mercado abrirá em 3 h 18 min
  • BOVESPA

    106.858,87
    +1.789,18 (+1,70%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.605,56
    +8,27 (+0,02%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,90
    +1,41 (+2,03%)
     
  • OURO

    1.783,10
    +3,60 (+0,20%)
     
  • BTC-USD

    51.133,08
    +3.109,22 (+6,47%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.322,62
    +62,46 (+4,96%)
     
  • S&P500

    4.591,67
    +53,24 (+1,17%)
     
  • DOW JONES

    35.227,03
    +646,95 (+1,87%)
     
  • FTSE

    7.299,00
    +66,72 (+0,92%)
     
  • HANG SENG

    23.983,66
    +634,28 (+2,72%)
     
  • NIKKEI

    28.455,60
    +528,23 (+1,89%)
     
  • NASDAQ

    16.064,50
    +221,75 (+1,40%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4259
    +0,0023 (+0,04%)
     

Famílias de baixa renda podem ter luz cortada a partir de hoje

·1 min de leitura
Desligando uma abajur
Famílias de baixa renda também terão que pagar contas de luz a partir da bandeira vermelha 2
(Getty Creative)
  • Termina hoje o período de suspensão de corte de energia para famílias de baixa renda

  • Agora, quem não pagar conta de luz terá energia elétrica suspensa 

  • Medida havia sido implementada para proteger 12 milhões de pessoas em vulnerabilidade

Termina, nesta sexta-feira, 1, o período de suspensão de corte de energia para as famílias de baixa renda. A partir de agora, quem não pagar a conta de luz poderá ter a eletricidade suspensa.

A medida foi implementada em março deste ano e prorrogada até 30 de setembro para evitar que cerca de 12 milhões de pessoas em situação de vulnerabilidade ficassem sem energia elétrica por inadimplência. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) suspendeu a sanção devido à pandemia de Covid-19.

Leia também:

Por conta da crise hídrica, a Aneel está cobrando a conta de luz a partir da bandeia vermelha 2, estendida às famílias de baixa renda nesse mês de outubro. São R$ 14,20 a cada 100 kWh consumido.

Governo não adotará horário de verão

A falta de chuvas e baixo volume de vários reservatórios têm feito com que o Brasil enfrente a pior crise hídrica dos últimos 90 anos. Uma das especulações era se o horário de verão retornaria como aliado na economia de energia elétrica.

Entretanto, o Ministério de Minas e Energia anunciou que não haverá a retomada do programa extinto em 2019 por Jair Bolsonaro (sem partido). O ministro Bento Albuquerque justificou que a medida não traz benefícios.

De acordo com o Datafolha, cerca de 55% dos brasileiros apoiam a volta do horário de verão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos