Mercado abrirá em 1 h 38 min
  • BOVESPA

    112.282,28
    +2.032,55 (+1,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.338,34
    +510,21 (+1,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,69
    -0,54 (-0,75%)
     
  • OURO

    1.773,20
    -5,60 (-0,31%)
     
  • BTC-USD

    43.599,17
    +1.452,59 (+3,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.092,03
    +51,55 (+4,95%)
     
  • S&P500

    4.395,64
    +41,45 (+0,95%)
     
  • DOW JONES

    34.258,32
    +338,48 (+1,00%)
     
  • FTSE

    7.088,33
    +4,96 (+0,07%)
     
  • HANG SENG

    24.510,98
    +289,44 (+1,19%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.245,00
    +81,50 (+0,54%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1946
    -0,0142 (-0,23%)
     

Família negra é abordada por segurança ao tentar comprar carro em concessionária

·2 minuto de leitura
Foto: Divulgação/Kavak
Foto: Divulgação/Kavak
  • A abordagem racista aconteceu em uma loja da Kavak no Shopping Morumbi, região rica de São Paulo

  • A psicóloga Kézia Castro estava com o marido e o irmão, quando foram abordados diversas vezes por consultores e pelo segurança: "o que estão fazendo aqui?"

  • Em nota, empresa de origem mexicana diz reconhecer erro e ser contra discriminação

Texto: Letícia Fialho Edição: Nadine Nascimento

No último sábado (28), uma família foi vítima de uma abordagem racista em uma loja da empresa Kavak, no Shopping Morumbi, quando tentavam comprar um automóvel. A psicóloga Kézia Castro estava acompanhada do marido e do irmão, em visita pré-agendada à concessionária, quando um consultor de vendas perguntou de forma taxativa, mais de uma vez, se estavam ali para inspeção veicular.

“Meu marido falou que estávamos ali para comprar o carro e novamente o consultor questionou se não fazíamos parte da inspeção. Foi muito constrangedor por estarmos ali para comprar um carro e mesmo assim, olhando para nós, o consultor não quis nem nos escutar. Enquanto víamos os carros, um outro vendedor nos abordou perguntando o que fazíamos ali, mesmo a loja sendo de autoatendimento”, relata a psicóloga que compartilhou o caso em sua conta do Twitter.

A situação se agravou quando o irmão de Kézia foi levado para um canto pelo segurança da loja, que questionou o que ele fazia ali sem nenhum vendedor por perto. 

"Quando falamos sobre o ocorrido na recepção, a recepcionista tentou nos silenciar dizendo que não era bem assim, ao invés de acolher e reconhecer o erro na atitude dos funcionários. Ficamos extremamente decepcionados. Espero que a Kavak Brasil tome uma atitude em relação a isso", completa a vítima em uma publicação no site Reclame Aqui. 

A Alma Preta Jornalismo entrou em contato com as vítimas, que não se sentiram confortáveis em conceder entrevista por ainda estarem fragilizadas com o ocorrido.  

A Kavak é uma startup mexicana especializada em compra e venda de veículos automotivos. Seu lançamento no Brasil aconteceu em 2020, quando a empresa, que atualmente vale US$4 bilhões de dólares, ingressou no mercado para facilitar a prestação de serviço neste ramo para os brasileiros. 

Leia também:

Posicionamento da empresa

Em nota, a startup admitiu o ocorrido e fez a seguinte declaração: “A Kavak é totalmente contrária a qualquer forma de discriminação ou preconceito. Bem como lamenta o ocorrido profundamente, já se desculpou com a cliente e sua família, e reforça que está tomando as medidas necessárias internamente para evitar que isso aconteça novamente. A empresa preza pela melhor experiência durante toda a jornada de compra ou venda (inspeção do automóvel) e está sempre preparando o time para receber e atender todos os clientes com respeito e empatia”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos