Mercado abrirá em 9 h 21 min
  • BOVESPA

    117.560,83
    +363,01 (+0,31%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.326,68
    +480,85 (+1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,35
    -0,10 (-0,11%)
     
  • OURO

    1.718,70
    -2,10 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    20.001,35
    -336,59 (-1,65%)
     
  • CMC Crypto 200

    455,00
    -8,13 (-1,76%)
     
  • S&P500

    3.744,52
    -38,76 (-1,02%)
     
  • DOW JONES

    29.926,94
    -346,93 (-1,15%)
     
  • FTSE

    6.997,27
    -55,35 (-0,78%)
     
  • HANG SENG

    17.833,51
    -178,64 (-0,99%)
     
  • NIKKEI

    27.149,76
    -161,54 (-0,59%)
     
  • NASDAQ

    11.535,00
    -6,75 (-0,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1015
    -0,0120 (-0,23%)
     

Família de entregador do iFood que morreu em serviço segue sem receber indenização

iFood afirma que tomará providências que não dependem da análise da seguradora (Photo Illustration by Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
iFood afirma que tomará providências que não dependem da análise da seguradora (Photo Illustration by Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
  • Entregador de 24 anos sofreu acidente fatal em maio, durante a entrega de uma refeição

  • iFood alega que encaminhou o caso à seguradora para análise da cobertura do seguro de vida

  • Família não conseguiu contato com a plataforma para receber o auxílio-funeral em tempo

A família do entregador Yuri de Souza, que morreu em um acidente de trânsito no momento da entrega de uma refeição pelo iFood, acusa a empresa de não ter pago a indenização prometida e ainda ter banido a vítima da plataforma.

Yuri, de 24 anos, sofreu um acidente fatal no dia 15 de maio, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Seu irmão, Yago, recebeu um vídeo de um acidente pelo WhatsApp e reconheceu a placa da moto. Ao chegar ao local, Yuri já estava morto e o pacote de comida que entregaria ao lado do veículo.

Após saber da morte, o iFood alega que entrou em contato com a família de Yuri avisando que o caso havia sido encaminhado à seguradora para análise da cobertura do seguro de vida ao qual o entregador teria direito. A família não conseguiu contato com a plataforma para receber o auxílio-funeral em tempo.

Alguns dias após o ocorrido, a família de Yuri ficou sabendo que ele foi banido da plataforma por má conduta e que a análise da seguradora constatou que o “entregador parceiro” utilizava uma conta “com parte dos dados cadastrais atribuídos a terceiros. A situação irregular infringe os termos de uso da plataforma e inviabiliza a cobertura do seguro". Os detalhes são do The Intercept.

Em esclarecimento à reportagem, o iFood garante que "informou a inconsistência dos dados à família durante o acolhimento e disponibilizou apoio psicológico", o que a família nega.

Em nota no próprio site, o iFood afirma que houve um erro no sistema de comunicação e que a plataforma tomará providências que não dependem da análise da seguradora.

Confira o comunicado divulgado pelo iFood:

O iFood lamenta a morte de Yuri de Souza, se solidariza e pede desculpas à sua família pelo erro do sistema de comunicação da empresa que permitiu o envio de uma mensagem ao seu perfil pessoal na plataforma, após o seu falecimento. Apesar da decisão inicial da seguradora de não realizar o pagamento do seguro por conta de o entregador estar usando um perfil de terceiro, esclarecemos que o iFood tomou as medidas necessárias e que a indenização pelo falecimento do Yuri será paga à família do entregador nos próximos dias.