Mercado abrirá em 5 h 58 min
  • BOVESPA

    119.646,40
    -989,99 (-0,82%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.125,71
    -369,70 (-0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,28
    +0,04 (+0,08%)
     
  • OURO

    1.873,40
    +6,90 (+0,37%)
     
  • BTC-USD

    34.594,44
    -68,17 (-0,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    684,89
    -15,73 (-2,24%)
     
  • S&P500

    3.851,85
    +52,94 (+1,39%)
     
  • DOW JONES

    31.188,38
    +257,86 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.740,39
    +27,44 (+0,41%)
     
  • HANG SENG

    29.999,21
    +356,93 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    28.725,60
    +92,14 (+0,32%)
     
  • NASDAQ

    13.376,00
    +81,75 (+0,61%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4177
    -0,0809 (-1,24%)
     

Famílias ricas voltam a se apoiar em hedge funds, diz BlackRock

Ben Stupples
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Family offices voltam a recorrer aos hedge funds.

Mais de 30% das 185 empresas de investimento para clãs abastados planejam aumentar as alocações em meio à turbulência econômica causada pela pandemia de Covid-19, de acordo com pesquisa divulgada na quarta-feira pela BlackRock e Juniper Place, uma empresa de Londres que ajuda gestoras de ativos a levantar capital.

Family offices e outros investidores têm se afastado dos hedge funds nos últimos anos, com queixas sobre altas comissões e retornos medíocres. Mas a crise de saúde deu um impulso a alguns desses gestores, especialmente os de renda variável, que se beneficiaram de fortes apostas em ações de tecnologia e amplos estímulos econômicos que levaram índices acionários a novas máximas.

“A recente turbulência do mercado e a expectativa de volatilidade sustentada no médio prazo revigoraram o apelo dos hedge funds”, disseram BlackRock e Juniper Place no relatório.

Family offices proliferaram nos últimos anos, em linha com o aumento das fortunas em tecnologia, finanças e imóveis. Alguns dos maiores family offices incluem a Cascade Investment, de Bill Gates, e a Bayshore Global Management, de Sergey Brin. Existem agora mais de 10 mil family offices no mundo todo, de acordo com a empresa de contabilidade EY. Family offices únicos, que têm apenas um cliente, tinham ativos médios de US$ 802 milhões, de acordo com pesquisa publicada em 2019 pela Campden Wealth e UBS.

Mais de 75% dos family offices disseram preferir hedge funds com estratégia comprada-vendida em ações, de acordo com a pesquisa BlackRock realizada em julho e agosto. Esses fundos tiveram a estratégia ampla de melhor desempenho no ano passado, com ganho de cerca de 4% até novembro em uma base ponderada por ativos, segundo dados da Hedge Fund Research.

As empresas também planejam aumentar as alocações em classes de ativos que tipicamente constituíam a maior parte de suas carteiras antes da chegada da pandemia, como private equity e setor imobiliário, de acordo com o relatório. Além disso, exploram cada vez mais investimentos sustentáveis, e 80% dos family offices agora incluem algum tipo em seu portfólio.

Sheryl Needham, responsável por family offices da BlackRock para Europa, Oriente Médio e África, disse em comunicado que esse segmento já não considera que o investimento sustentável compromete os retornos.

A BlackRock, maior gestora de ativos do mundo, administrava US$ 7,8 trilhões no final de setembro.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.