Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    47.586,45
    -611,31 (-1,27%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.282,75
    -226,75 (-1,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Família perdeu R$ 850 mil em pirâmide de criptomoedas que oferecia 10% ao mês

·2 minuto de leitura
Esposa e marido tristes família perdeu Bitcoin
Esposa e marido tristes família perdeu Bitcoin

Uma família, do interior de São Paulo, perdeu R$ 850 mil em uma pirâmide de criptomoedas que oferecia 10% ao mês de retorno fixo.

Na última semana, o Gaeco prendeu seis pessoas por criar golpes com criptomoedas no Estado de São Paulo. Elas trabalhavam em uma empresa chamada CriptBank.

Segundo as investigações feitas pelas autoridades locais, o esquema consistia em captar investidores para oferecer rendimentos fixos.

Além de realizar contratos com as vítimas, a empresa, buscando gerar mais legitimidade ao esquema, também dava certificados para os clientes que investiam no negócio.

Golpe dava certificado para vítimas
Golpe dava certificado para vítimas

A operação do Gaeco, em conjunto com a Polícia Civil, foi batizada de CriptoGolpe.

Durante seu funcionamento, a empresa e os operadores alvos da ação afirmavam ser o primeiro banco de criptomoedas do Brasil que, na verdade, se mostrou como a fachada para mais um golpe de pirâmide financeira.

Família perdeu R$ 850 mil ao investir em pirâmide de criptomoedas

Após o encerramento do esquema criminoso bem como da obtenção de mais informações dos criminosos — que ainda serão apuradas pela PCSP — relatos de ex-clientes começam a chegar ao conhecimento público.

O novo caso, de uma família que perdeu R$ 850 mil em um golpe de criptomoedas em Sorocaba, no interior de São Paulo, foi compartilhado pelo portal R7.

As informações foram compartilhadas pelo advogado das vítimas, um aposentado e sua filha, que acreditaram ser possível investir em um negócio com rendimento fixo. No início, após repassar os valores aos golpistas, a família chegou a receber os aportes de 10% ao mês prometidos.

Uma hora a pirâmide cai e começa a fazer vítimas

Em um primeiro momento, o aposentado colocou R$ 429 mil nas mãos na empresa Gasull Investiments, com sede em Barueri, recebendo um gordo rendimento de 10% do seu próprio dinheiro ao final de 30 dias. Vendo que o negócio era promissor, o cliente mandou mais R$ 71 mil para a empresa.

Do segundo mês em diante, os líderes da empresa não respondiam mais aos telefonemas da família, informou o advogado criminalista Danilo Campagnollo Bueno, defensor das vítimas.

Sua filha acabou envolvida pelos ganhos do pai e também resolveu colocar R$ 50 mil no “primeiro banco de criptomoedas do Brasil”. Vendo os retornos acontecer, o aposentado ainda colocou mais R$ 300 mil no negócio.

Nenhuma identidade das vítimas do esquema foi revelada na reportagem.

Operação ainda apura mais informações

Na quarta-feira (1), o Gaeco apreendeu documentos da empresa acusada de dar golpes, assim como carros de luxo e mais objetos que ajudarão a elucidar o funcionamento da pirâmide.

“O grupo garantiu visibilidade e capacidade de iludir investidores ao fazer propaganda em nome do Criptbank S/A, Criptbank Holding Investimentos Negócios e Participações e da Gasull Investimentos Ltda.”

No mercado de investimentos, seja em criptomoedas ou qualquer outro ativo, o retorno fixo certo é uma promessa que mascara, muitas vezes, os famosos golpes de pirâmides financeiras.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos