Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    34.318,56
    +479,10 (+1,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

Família mais rica do mundo se desfaz de ações da Walmart

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Integrantes da família Walton venderam 16,7 milhões de ações da Walmart este ano, tentando impedir que sua participação aumente demais durante o programa de recompra de ações que está sendo realizado pela maior varejista do mundo.

O fundo Walton Family Holdings Trust vendeu US$ 430 milhões em papéis na semana passada, elevando a venda total desde 1º de janeiro a quase US$ 2,1 bilhões, de acordo com documentos submetidos à comissão de valores mobiliários dos EUA (SEC). As notificações foram feitas em nome de Alice, Rob e Jim Walton, que são da segunda geração.

A família é dona de aproximadamente metade das ações em circulação da varejista por meio do fundo e de seu principal veículo de investimento, chamado Walton Enterprises.

Nos últimos anos, o fundo tem sido o meio mais usado pelos familiares para se desfazer das ações. Eles transferiram 194 milhões de ações para o mesmo em 2015 (sendo que quase tudo foi vendido posteriormente) e mais 415 milhões de papéis no ano passado.

As vendas recentes “são consistentes com o esforço da família para manter um equilíbrio adequado entre o que é participação da família e o que não é, compensando possíveis aumentos no percentual controlado ao longo do tempo e ajudando a financiar contribuições a instituições de caridade”, disse Randy Hargrove, porta-voz da empresa sediada em Bentonville, Arkansas.

Plano de Recompra

A Walmart recomprou US$ 37,4 bilhões em ações desde que iniciou o programa em 2015, segundo dados compilados pela Bloomberg.

No período, o papel se valorizou 64%, o que ajudou a aumentar a fortuna somada da família para US$ 216 bilhões, de acordo com o Bloomberg Billionaires Index. Cerca de três quartos dessa fortuna estão vinculados a ações da Walmart.

As recompras ajudaram a reduzir o número de ações em circulação da varejista em 13%, o que significa que a participação dos Walton teria superado os 50% se eles não se desfizessem dos papéis. A Walton Enterprises não tem comprado ações ordinárias, disse Hargrove.

Pessoas intimamente vinculadas a companhias de capital aberto nos EUA venderam US$ 29,4 bilhões em ações nos primeiros cinco meses do ano, de acordo com dados compilados pela Bloomberg. Entre eles estão alguns dos indivíduos mais ricos do planeta.

Jeff Bezos vendeu US$ 6,7 bilhões em papéis da Amazon este ano, enquanto Leslie Wexner vendeu US$ 500 milhões em ações do grupo de marcas de varejo L Brands. Tony James, vice-presidente executivo da gestora de ativos Blackstone Group, e Sergey Brin, cofundador do Google, também fizeram transações de destaque em 2021.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos