Mercado fechará em 4 h 45 min
  • BOVESPA

    109.349,55
    -2.190,25 (-1,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.999,28
    +317,09 (+0,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,80
    +1,05 (+1,76%)
     
  • OURO

    1.709,10
    -24,50 (-1,41%)
     
  • BTC-USD

    50.762,46
    +1.382,07 (+2,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.018,15
    +30,05 (+3,04%)
     
  • S&P500

    3.842,38
    -27,91 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    31.362,16
    -29,36 (-0,09%)
     
  • FTSE

    6.629,14
    +15,39 (+0,23%)
     
  • HANG SENG

    29.880,42
    +784,56 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    29.559,10
    +150,93 (+0,51%)
     
  • NASDAQ

    12.910,50
    -144,75 (-1,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,9179
    +0,0558 (+0,81%)
     

Faltou bola para o Palmeiras contra o Tigres. Weverton evitou uma derrota maior

Alexandre Praetzel
·3 minuto de leitura
Weverton foi o melhor do Palmeiras contra o Tigres, evitando uma goleada. Foto: Thiago Ribeiro/AGIF
Weverton foi o melhor do Palmeiras contra o Tigres, evitando uma goleada. Foto: Thiago Ribeiro/AGIF

O Palmeiras ficou longe de derrotar o Tigres, na semifinal do Mundial de Clubes. O time perdeu por 1 a 0 e o placar poderia ser pior, se não fosse Weverton. O goleiro fez três defesas muito difíceis, evitando uma goleada. O Palmeiras só obrigou o argentino Guzman a uma intervenção, num forte chute de Rony.

Desde o início, o Tigres ficou com a bola e o Palmeiras se manteve posicionado, esperando o erro adversário. Algo parecido com a postura do jogo contra o River Plate, na vitória por 3 a 0, em Avellaneda. Só que os mexicanos não deram sopa e foram melhores. O gol de pênalti, marcado por Gignac, foi suficiente para o Tigres passar pelo Verdão.

Leia também:

O meio-campo palmeirense com Danilo, Zé Rafael, Gabriel Menino e Veiga não funcionou. Os quatro se preocuparam mais em marcar e menos em jogar. O setor foi improdutivo e o Tigres trabalhou sem muitos obstáculos. Rony e Luiz Adriano ficaram isolados na frente, porque Marcos Rocha e Viña também não conseguiam apoiar. Do outro lado, o Tigres atacava com perigo. Num desses lances, Luan fez pênalti infantil em Gonzalez e o Palmeiras largou atrás.

Abel Ferreira fez as cinco substituições e o Palmeiras melhorou, também pelo recuo do Tigres e desgaste em campo. Ainda assim, teve apenas uma chance em cruzamento de Willian, com Rodriguez quase marcando contra. Pouco, muito pouco. O cansaço e o fuso horário não podem servir de desculpas para um Palmeiras que não teve ambição e foi minimamente ofensivo.

O blog conceitou os jogadores do Palmeiras. Confiram.

Weverton - Salvou o time de uma goleada. Nota 9.

Marcos Rocha - Sem espaços para o apoio, sofreu com Quiñonez. Nota 5.

Mayke - Pouco tempo em campo. Não foi melhor que Rocha. Nota 5.

Luan - Não estava mal, mas fez um pênalti juvenil. Nota 4.

Gómez - Jogou por ele e pela defesa. Nota 6,5.

Viña - Muito nervoso e com muito erros. Nota 4.

Danilo - Guardou posição e foi burocrático. Nota 5.

Felipe Melo - Melhorou a saída de bola e foi mais ofensivo. Nota 5,5.

Zé Rafael - Uma boa jogada e só. Nota 5.

Patrick de Paula - Um pouco melhor, com mais chegada na frente. Nota 5,5.

Veiga - Sumido. Não fez quase nada. Nota 4.

Scarpa - Tentou cruzamentos e chutes. Bem melhor. Nota 6.

Gabriel Menino - Atuação fraca. Nota 4.

Willian - Deu mais movimentação ao ataque e criou uma boa chance. Nota 6.

Rony - Muito esforço e um bom chute contra Guzman. Nota 6.

Luiz Adriano - Isolado e bem marcado, perdeu o gol de empate. Nota 5,5.

Abel Ferreira - Especulou demais e esperou o Tigres errar. Faltou bola e ambição. Nota 5.

Agora, é pensar na decisão da Copa do Brasil, utilizando os titulares nos confrontos diante do São Paulo e Atlético-MG, escalando os reservas nos jogos restantes da Série A do Brasileiro. Isso me parece óbvio.