Mercado abrirá em 1 h 55 min

Falta de tornozeleira impede soltura de Crivella, dizem fontes do sistema penitenciário do Rio

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Rio de Janeiro Mayor Marcelo Crivella is escorted to a medical exam after his arrest, at police headquarters in Rio de Janeiro, Brazil, Tuesday, Dec. 22, 2020. Rio de Janeiro state police arrested the outgoing mayor on Tuesday in connection with an alleged kickbacks scheme. (AP Photo/Bruna Prado)
No entanto, a falta do equipamento estaria impedindo que o prefeito apontado como líder do esquema conhecido como "QG da Propina" deixe a Cadeia Pública José Frederico Marques, na Zona Norte do Rio de Janeiro (Foto: AP Photo/Bruna Prado)

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedeu uma liminar que permite que o prefeito Marcelo Crivella cumpra prisão domiciliar com uso de tornozeleira eletrônica. No entanto, a falta do equipamento estaria impedindo que o prefeito apontado como líder do esquema conhecido como "QG da Propina" deixe a Cadeia Pública José Frederico Marques, na Zona Norte do Rio de Janeiro.

De acordo com o jornal O Globo, que recebeu a informação de fontes do sistema peninteciário do Rio, um adovgado de Crivella está no local desde às 8h30 desta quarta-feira (23) acompanhando os trâmites da soltura. O alvará de soltura foi expedido às 9h03 de hoje pelo Tribunal de Justiça do Rio.

A Secretaria de Administração Penitenciária negou a informação. Em nota, afirmou que “não há falta de tornozeleiras eletrônicas” e que “ainda não foi notificada pela Justiça” da decisão.

Leia também

O presidente do STJ, ministro Humberto Martins, concedeu uma liminar que permite a soltura de Crivella nesta terça-feira (22). Após audiência de custódia, o prefeito foi levado ao presídio de triagem de Benfica, na Zona Norte do Rio.

A decisão de Martins estabelece que Crivella está proibido de manter contato com terceiros e ele terá que entregar telefones, computadores e tablets às autoridades. O prefeito afastado está proibido também de sair de casa sem autorização.

As medidas cautelares são válidas até que o ministro Antonio Saldanha Palheiro, relator do habeas corpus impetrado pela defesa de Crivella, analise o mérito do pedido – o que deverá acontecer após o fim das férias forenses.

Prisão

Marcelo Crivella foi preso na manhã desta terça-feira (22) em uma ação conjunta entre a Polícia Civil e o Ministério Público do RJ.

A investigação aponta a existência de um "QG da Propina" na Prefeitura do Rio. No esquema, de acordo com as apurações do MP, empresários pagavam para ter acesso a contratos e para receber valores que eram devidos pela gestão municipal.

A desembargadora Rosa Helena Penna Macedo Guita, que autorizou a prisão, afirmou que Crivella comanda uma organização criminosa que atuava na prefeitura. Ela determinou o afastamento do prefeito, que encerraria o mandato daqui a nove dias. Quem assume interinamente é o vereador Jorge Felippe (DEM), presidente da Câmara Municipal. Eduardo Paes toma posse em 1º de janeiro.