Mercado fechado

Falta de tecnologia e ‘fator Hang’ frustram IPO da Havan

Marcus Couto
·1 minuto de leitura
O empresário Luciano Hang. (Foto: AP Photo/Leo Correa)
O empresário Luciano Hang. (Foto: AP Photo/Leo Correa)

A rede de lojas Havan decidiu suspender a sua aguardada abertura de capital na B3, depois de o mercado receber seu prospecto com menos entusiasmo do que os controladores esperavam. As informações são da revista Exame.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

A empresa protocolou em agosto o pedido de abertura de capital na CVM. Esperava uma avaliação de R$ 70 bilhões, mas o mercado colocava essa cifra “apenas” entre R$ 50 bilhões e R$ 60 bilhões.

Leia também

Antes da confirmação da desistência, já era noticiado que os bancos envolvidos no IPO haviam aconselhado a Havan a segurar a abertura, por conta do atual momento de “turbulência” dos mercados financeiros.

Segundo os analistas, dois fatores pesaram especialmente na frustração do IPO – que ainda pode ocorrer em outro momento:

1 - Tecnologia. Ao contrário de concorrentes, como a Magalu, a Havan ainda engatinha em seu processo de digitalização, com desenvolvimento de app de compras, e isso pode ser um problema. O mercado estaria bem mais disposto a colocar dinheiro em empresas com crescimento sustentado sobre uma plataforma tecnológica madura.

2 - O “fator Hang”. No prospecto do IPO, a Havan incluía o fundador Luciano Hang como um “fator de risco”, devido a processos que correm na justiça por conta de supostos crimes, como sonegação de impostos, ofensas e outros.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube