Mercado fechará em 2 h 58 min
  • BOVESPA

    114.616,05
    -1.051,73 (-0,91%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.379,68
    +228,30 (+0,51%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,48
    +0,26 (+0,41%)
     
  • OURO

    1.776,40
    -21,50 (-1,20%)
     
  • BTC-USD

    50.770,64
    +989,02 (+1,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.016,05
    +21,39 (+2,15%)
     
  • S&P500

    3.864,75
    -60,68 (-1,55%)
     
  • DOW JONES

    31.620,76
    -341,10 (-1,07%)
     
  • FTSE

    6.651,96
    -7,01 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    30.074,17
    +355,93 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.168,27
    +496,57 (+1,67%)
     
  • NASDAQ

    13.029,00
    -273,00 (-2,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7209
    +0,1504 (+2,29%)
     

Falta de oxigênio: Aeroporto rejeita avião com insumos e sete morrem asfixiados no interior do Amazonas

Redação Notícias
·3 minuto de leitura
Family members of patients hospitalized with COVID-19 line up with empty oxygen tanks in an attempt to refill them, outside the Nitron da Amazonia company, in Manaus, Amazonas state, Brazil, Friday, Jan. 15, 2021. (AP Photo/Edmar Barros)
O texto divulgado pela prefeitura de Coari culpa falhas de planejamento da Secretaria de Saúde do Amazonas pela falta do insumo (Foto: AP Photo/Edmar Barros)

Sete pessoas morreram por falta de oxigênio nesta terça-feira (19) em Coari, no interior do Amazonas, de acordo com informações da prefeitura da cidade distante a 450 km de Manaus pelo caminho do rio.

Segundo a prefeitura, o município deveria ter recebido 40 cilindros de oxigênio na segunda-feira (18), mas a aeronave que levaria os insumos acabou viajando para o município de Tefé, localizado no interior do estado, e não retornou pois o aeroporto não aceita voos noturnos.

O texto divulgado pela prefeitura de Coari culpa falhas de planejamento da Secretaria de Saúde do Amazonas pela falta do insumo.

Leia também

Segundo a nota, 200 cilindros do Hospital Regional de Coari estão presos pela Secretaria da Saúde, sendo que parte deles estaria aguardando o abastecimento. A prefeitura acusa a o governo de distribuir a outra parte a UBSs de Manaus.

A reportagem questionou a Secretaria da Saúde do Amazonas sobre as acusações e aguarda posicionamento.

Colapso avança pelo interior

Nas últimas 24 horas, ao menos seis pessoas morreram por asfixia em Faro, no Pará. Os óbitos foram confirmados pela prefeitura da cidade. O município vive um colapso na área da saúde com falta de oxigênio e leitos hospitalares por excesso de pacientes internados com Covid-19. A localidade fica na divisa paraense com o Amazonas.

De acordo com o "Estado de S. Paulo”, a situação mais grave é vivida numa comunidade chamada “Nova Maracanã", onde ao eu menos 34 pacientes estão internados. Terra Santa e Nhamundá são cidades vizinhas que também beiram o colapso.

Mortes por Covid

O número de mortes por Covid-19 no Amazonas chegou a 6.308, nesta segunda-feira (18). Foram contabilizados 117 novos óbitos, sendo 60 ocorridos nas últimas 24 horas e 57 confirmados após investigação, de acordo com dados da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM).

Foram registrados, nas últimas 24 horas, 1.790 novos casos de Covid-19, totalizando 232.434 casos da doença no Estado que vivencia um novo surto de Covid, e sofre com colapso na rede de saúde da capital por falta de oxigênio nos hospitais.

Registro no papel

Em meio ao caos na Saúde, as primeiras doses da vacina contra a Covid chegaram em Manaus na noite desta segunda.

Como o sistema eletrônico de controle de vacinação contra a Covid-19, sob responsabilidade do Ministério da Saúde, não está pronto, em alguns locais, como Manaus, a coleta de informações sobre a imunização está sendo feita no papel.

A prefeitura criou um formulário eletrônico paralelo para coletar e controlar as informações das pessoas que começaram a ser vacinadas a partir desta terça-feira (19), mas em algumas comunidades rurais a saída será o registro feito em papel.

Segundo a chefia do departamento responsável pelo plano de vacinação em Manaus, o Ministério da Saúde informou que "o sistema está pronto, mas ainda não está operacional".