Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,35 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    50.863,39
    +3.035,80 (+6,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,51 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7780
    -0,0079 (-0,12%)
     

Falsas contas bancárias pedem doações para vítimas do desastre em Brumadinho

O governo de MG alerta sobre golpes que estão sendo divulgados em redes sociais e pelo WhatsApp, pedindo doações para Brumadinho (Fernando Moreno/Futura Press)
O governo de MG alerta sobre golpes que estão sendo divulgados em redes sociais e pelo WhatsApp, pedindo doações para Brumadinho (Fernando Moreno/Futura Press)

O desastre em Brumadinho (MG) deixou dezenas de famílias desabrigadas e gerou uma corrente de doações por todo o país. Diversos pontos recolheram doações de alimentos, itens de higiene, água e roupas para as vítimas. A Defesa Civil de Minas Gerais agradeceu a solidariedade da população e informou, no entanto, que os itens arrecadados já são suficientes.

Golpe

O governo de Minas Gerais aproveitou para alertar aos cidadãos sobre golpes que estão sendo divulgados em redes sociais e pelo WhatsApp, pedindo doações em dinheiro para as vítimas. “Se a pessoa não conhecer a fonte que está solicitando qualquer tipo de valor, não faça nenhuma doação”, aconselha o Major Flávio Santiago, porta-voz da Polícia Militar de Minas Gerais.

(Reprodução/Defesa Civil MG)
(Reprodução/Defesa Civil MG)

Voluntários

A Defesa Civil alertou ainda que no momento não há necessidade de voluntários na região, que ainda está em risco. “Não há, no momento, necessidade desse apoio. Até porque nós ampliamos a área do perímetro de segurança. Então, todo e qualquer voluntário que por aqui aporte também não será, no momento, ativado,” indica o Major.