Mercado fechará em 3 h 34 min
  • BOVESPA

    117.545,35
    +347,53 (+0,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.205,18
    +359,35 (+0,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,23
    +0,47 (+0,54%)
     
  • OURO

    1.716,60
    -4,20 (-0,24%)
     
  • BTC-USD

    20.062,30
    -43,35 (-0,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    456,61
    -6,52 (-1,41%)
     
  • S&P500

    3.761,30
    -21,98 (-0,58%)
     
  • DOW JONES

    30.086,96
    -186,91 (-0,62%)
     
  • FTSE

    6.997,27
    -55,35 (-0,78%)
     
  • HANG SENG

    18.012,15
    -75,82 (-0,42%)
     
  • NIKKEI

    27.311,30
    +190,80 (+0,70%)
     
  • NASDAQ

    11.572,75
    -51,00 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0945
    -0,0417 (-0,81%)
     

Falhas de configuração de nuvem colocam segurança das empresas em risco

Um estudo realizado pela empresa de cibersegurança Check Point apontou que a unificação do gerenciamento do ambiente é o maior desafio na jornada de migração dos sistemas das empresas para a nuvem. De acordo com a empresa, incidentes envolvendo erros na configuração da nuvem estão entre as principais causas de incidentes de segurança.

Entre os principais erros apontados estão a ausência de unificação de gerenciamento do ambiente, além de falta de políticas para proteção de workloads, aplicativos e desenvolvimento seguro. Isso acaba abrindo brechas para que ameaças e ataques cibernéticos ingressem nas empresas, causando sérios problemas.

O que é a unificação das nuvens

A unificação é o primeiro passo para a proteção dos workloads na nuvem, assim como para a proteção para um desenvolvimento seguro. Hoje, as empresas se deparam com soluções de segurança distintas e específicas, que impossibilitam gerenciamentos, já que cada empresa tem necessidades de segurança diferentes.

“Outro ponto fundamental no qual a unificação do gerenciamento da segurança é requerida tem relação com configurações erradas. Uma configuração incorreta foi a principal causa dos incidentes de cibersegurança na nuvem em 2021”, destaca Fernando de Falchi, gerente de Engenharia de Segurança e Evangelista da Check Point Software Brasil.

Segundo um relatório da mesma Check Point, divulgado no início deste ano, os incidentes de segurança na nuvem aumentaram 10% em 2021 no comparativo com 2020. Dessas ocorrências, 27% tiveram alguma relação com configurações incorretas, outros problemas envolveram questões com exposição de dados ou comprometimento de contas de usuários.

Empresas estão trabalhando para resolver o problema

As organizações têm trabalhado para ofertar produtos de segurança para o ciclo de desenvolvimento operacional, porém, os problemas relacionados a esse processo são agravados pela escassez de mão-de-obra qualificada, que é confirmada por 45% das empresas. Das empresas ouvidas, apenas 16% disse que tinha DevSecOps abrangentes, enquanto 37% estava implantando seus setores.

“Enquanto a mudança para a nuvem ganha ritmo, a capacidade de otimizar a proteção na nuvem torna-se vital”, defende Falchi. “75% das organizações são a favor de uma plataforma de segurança unificada com um único painel de controle”, prossegue. “Atualmente, 80% precisam fazer ‘malabarismos’ com três ou mais painéis de soluções de segurança separados para configurar o seu controle de nuvem corporativa”, conclui o pesquisador.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: