Mercado fechado

Fake news e mudanças climáticas são principais desafios atuais, diz Barack Obama

Wagner Wakka

O ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, foi um dos principais convidados do Dreamforce 2019, evento da Salesforce voltado para fãs, clientes e imprensa. O político falou sobre sua vida pessoal, liderança e se mostrou preocupado com temas específicos, entre eles o avanço de notícias falsas.

Obama foi entrevistado por um dos CEO da Salesforce, Marc Benioff. Já no meio do debate, o ex-presidente levantou três questões que considera os principais problemas a serem combatidos atualmente. “Há esta nova era da informação, com várias empresas de mídia e redes sociais. Isso pode ser um momento perigoso, pois as pessoas não sabem o que é verdade e o que não é”, declarou o político.

Para ele, o modo como as empresas tratam a informação mudou muito nos últimos anos. “Quando nós éramos mais jovens, havia uns três canais de TV passando informações que era até muito parecidas. Hoje, se você assiste à Fox News e lê ao New York Times, está diante de dois mundos totalmente diferentes”, alfineta o ex-presidente. A Fox News é conhecida no país por ser um veículo de apoio do governo de Donald Trump, rival ao partido de Obama.

Barack Obama com Marc Benioff, durante a Dreamforce 2019 (Foto: Diculgação/Salesforce)

Ele ainda aponta que isso está acirrando debates polarizados: “Precisamos de uma agenda conjunta, falar a mesma língua. As pessoas estão se sentindo inseguras e é responsabilidade nossa mudar este sentimento. De forma simples, é isso que vai nos levar para pavimentar um caminho para o futuro”, comentou.

O político também foi crítico até mesmo com o pensamento da tecnologia como uma ferramenta de transformação social. O lema do Dreamforce neste ano é de que “empresas podem mudar o mundo”. “A tecnologia proporciona que pessoas como eu e você fiquemos ricos, claro. Mas isso também pode ampliar desigualdades se não chegar a todo mundo”, lembrou Obama.

A desigualdade social, inclusive, foi apontada pelo ex-presidente como segundo ponto de preocupação para o futuro. Por fim, ele também disse que se preocupa com problemas climáticos, tema que está no cerne de tudo que faz atualmente.

Retrovisão

Obama também disse que está escrevendo seu livro sobre os oitos anos que passou na Casa Branca. Segundo Benioff, o político fala há tempos sobre a obra, mas não avança na escrita. “Eu tenho uns dois capítulos já. Mas tive que começar de novo. Escrevi bastante coisa e mostrei para Michelle [Obama] e ela não gostou. Então comecei tudo novamente”, brincou.

Quando o político foi falar sobre liderança, principal tema em debate, citou suas próprias filhas. Atualmente, disse que se dedica mais à paternidade, já que tem mais tempo. “Eu sempre falo duas coisas para elas: que sejam gentis e se façam úteis. Com estas duas coisas, eu acredito que você vai se dar bem em qualquer lugar. As pessoas vão querer trabalhar com você”.

Insegurança

Obama não só foi chamado para falar sobre liderança por ter sido presidente dos Estados Unidos, mas também pelo projeto sobre o tema que gerencia com sua esposa. A Obama Foundation disponibiliza bolsas de estudo para 25 estudantes, anualmente, voltadas exatamente para descobrir talentos em todo mundo e permitir que se desenvolvam na Universidade de Chicago.

O ex-presidente foi bem claro ao reforçar várias vezes que grandes líderes não se formam apenas nos principais centros de estudo, mas possuem potencial em todo mundo. “Em qualquer lugar é possível encontrar um grande líder. É isso que a gente quer fazer, ver o potencial das pessoas e permitir que possam escalar suas ideias”, explicou.

O político também acredita que um dos principais problemas dos atuais líderes reside na insegurança. “É preciso rodear a si mesmo de pessoas inteligentes, que sabem mais das coisas que você mesmo”, acredita o político.


Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: