Mercado fechado

Saiba como funcionam as factoring e as securitizadoras

empresas antecipam valores para companhias de pequeno e médio portes da indústria e do comércio (Getty Images)

Securitizadoras e factoring são empresas que operam Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) e debêntures privado. Ambas trabalham igualmente com títulos creditórios e antecipação de valores para a indústria e o comércio.

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

Enquanto as factorings trabalham mais com recursos próprios, as securitizadoras captam recursos de terceiros por meio da emissão de debêntures ou quotas de FIDCs, produtos que estão lastreados nos recebíveis adquiridos por empresas de pequeno e médio portes da indústria e do comércio.

Leia também

Cheques pré-datados são exemplos de recebíveis

Factorings e securitizadoras compram recebíveis (duplicatas, principalmente) de empresas que fizeram vendas a prazo e necessitam dos recursos imediatamente, principalmente para capital de giro. Para tanto, essas empresas cobram uma taxa de desconto. “Duplicatas, cheques pré-datados e notas promissórias são exemplos de títulos que podem ser negociados com as factorings e securitizadoras”, explica Plínio De Lucca Júnior, sócio-diretor da Davos Securitizadora.

Dinheiro no caixa das empresas

De Lucca salienta que, para as empresas que tomam capital emprestado mediante o desconto dos títulos a receber, a vantagem é ter dinheiro em caixa para reinvestir no negócio a taxas mais convenientes do que as encontradas, por exemplo, em empréstimos bancários.

Segundo De Lucca, a queda de juros tem levado o investidor tradicional a buscar novas alternativas de investimento, com prêmios diferenciados. Neste sentido, tanto as FIDCs como as debêntures emitidas pelas securitizadoras se tornam opções interessantes.