Mercado abrirá em 5 h 22 min
  • BOVESPA

    102.814,03
    +589,77 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.796,30
    +303,78 (+0,61%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,21
    -1,74 (-2,49%)
     
  • OURO

    1.794,50
    +9,30 (+0,52%)
     
  • BTC-USD

    56.406,17
    -949,73 (-1,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.424,44
    -4,49 (-0,31%)
     
  • S&P500

    4.655,27
    +60,65 (+1,32%)
     
  • DOW JONES

    35.135,94
    +236,60 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.109,95
    +65,92 (+0,94%)
     
  • HANG SENG

    23.329,47
    -522,77 (-2,19%)
     
  • NIKKEI

    27.821,76
    -462,16 (-1,63%)
     
  • NASDAQ

    16.319,25
    -71,50 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3454
    +0,0162 (+0,26%)
     

Facily tem até essa sexta para quitar débitos com clientes

·2 min de leitura
(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)
  • App de compras coletivas tem até essa sexta-feira para quitar dívidas com clientes;

  • Procon deu prazo até essa sexta para devolução dos valores de mercadorias não entregues;

  • Plataforma acumula mais de 150 mil reclamações na unidade do Procon-SP;

O aplicativo Facily, de compras coletivas, tem prazo até esta sexta-feira para ressarcir os consumidores que registraram queixas no Procon-SP até o último dia 11 de novembro, e não tiveram suas compras entregues. A empresa afirma que vai cumprir o prazo estabelecido pela entidade de defesa do consumidor, de acordo com informações do jornal O Globo. 

Leia também:

O volume recorde de registros levou o Procon-SP a ameaçar a suspensão de funcionamento do app e acabou na assinatura de um termo de compromisso, no último dia 11. A plataforma acumula mais de 150 mil reclamações apenas na entidade de defesa do consumidor paulista, a maioria por atraso ou não entrega de mercadoria.

Acordo garante devolução em cinco dias úteis

O acordo da plataforma com o Procon-SP garante que, em cinco dias úteis, seja feita a devolução integral dos valores pagos pelos clientes que não tiveram a mercadoria entregue. Além disso, a Facily se comprometeu a criar um fundo de R$ 250 milhões destinados à reparação de danos ao consumidor e ao aperfeiçoamento e melhoria de seu Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC), o que a empresa informa já ter feito, de acordo com o jornal O Globo.

Outro compromisso assumido pela plataforma é reduzir em 80% o número de queixas. Pelo termo, a cada queixa feita ao Procon-SP não resolvida, a Facily terá que doar R$ 1 mil ao Fundo Estadual de Defesa de Direitos Difusos da Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania, destinado a implementar ações voltadas à defesa do consumidor. Quem não for ressarcido, deve procurar o Procon-SP, ou da sua região, caso esteja fora de São Paulo.

O aplicativo Facily, que promete descontos significativos nas compras de itens de alimentação, higiene e limpeza, entre outros, já contabiliza 15 milhões de downloads, sendo mais de dez milhões de usuários ativos. Em meio ao rápido crescimento, segundo o co-fundador da empresa, Diego Dzodan, em entrevista ao jornal O Globo, "o app falhou em atender a demanda", completou.

Apesar do acordo ter sido firmado para beneficiar aos consumidores que recorreram ao Procon-SP, Dzodan ressaltou ao jornal que o esforço da companhia é para resolver as reclamações de todos os seus clientes que deixaram de ser atendidos. De acordo com o Procon-SP, 50% das reclamações feitas ao órgão já foram resolvidas pela empresa. A Facily tem sete dias úteis a contar do ressarcimento do consumidor para enviar o comprovante dessa quitação a entidade, independente da abertura de prazo ou nova notificação.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos