Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.513,62
    +1.085,64 (+0,85%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.558,32
    +387,54 (+0,77%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,22
    -0,08 (-0,11%)
     
  • OURO

    1.774,70
    -2,00 (-0,11%)
     
  • BTC-USD

    34.735,78
    +1.034,98 (+3,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    837,58
    +50,96 (+6,48%)
     
  • S&P500

    4.266,49
    +24,65 (+0,58%)
     
  • DOW JONES

    34.196,82
    +322,58 (+0,95%)
     
  • FTSE

    7.109,97
    +35,91 (+0,51%)
     
  • HANG SENG

    28.882,46
    +65,39 (+0,23%)
     
  • NIKKEI

    28.875,23
    +0,34 (+0,00%)
     
  • NASDAQ

    14.356,50
    +2,25 (+0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,8613
    -0,0010 (-0,02%)
     

Facebook vai passar a detalhar taxas que Google e Apple cobram de criadores

·2 minuto de leitura

Apesar de ser conhecido como uma rede social, o Facebook tem na publicidade um de seus maiores negócios — e o Google e a Apple como alguns de seus maiores competidores. No que parece ser uma ação para se destacar em meio à concorrência, a rede social revelou que vai alterar sua interface para criadores para mostrar exatamente o quanto eles pagam a cada empresa simplesmente por operar na plataforma.

A nova tela ainda não tem data de estreia definida, mas a empresa já revelou o primeiro relance do que os usuários vão encontrar. Nela, criadores vão poder ver os ganhos totais e quanto foi descontado em impostos e em taxas adotadas pelo próprio Facebook, pela Apple e pelo Google — depois de todos esses descontos, eles poderão conferir o quanto efetivamente vão ganhar.

Imagem: Divulgação/Facebook
Imagem: Divulgação/Facebook

O anúncio da nova interface veio acompanhada por uma mensagem publicada pelo CEO Mark Zuckerberg em seu perfil na rede social. Ele revelou que o uso de eventos online, assinaturas de fãs e produtos futuros de notícias independentes vão ser mantidos totalmente gratuitos para criadores até 2023.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

“E, assim que introduzirmos uma divisão de receita, ela vai ser menos do que os 30% que a Apple e os outros tiram”, finalizou Zuckerberg. Anteriormente, a empresa havia revelado que iniciaria seu plano de monetização ainda em 2021 — a mudança pode estar ligada à estratégia de expandir o uso da rede social como uma forma de transmitir eventos esportivos que nem sempre são contemplados pela televisão.

A referência com críticas à Apple feita pelo executivo não pode ser ignorada, visto que as duas companhias não estão nos melhores termos atualmente. O Facebook está entre os maiores críticos do sistema App Tracking Transparency introduzido pelo iOS 14.5 que, ao permitir que usuários barrem a coleta de dados pessoais, tira da plataforma a capacidade de vender anúncios direcionados precisos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos