Mercado abrirá em 2 h 4 min
  • BOVESPA

    110.249,73
    +1.405,98 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.828,13
    +270,48 (+0,53%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,67
    +1,18 (+1,67%)
     
  • OURO

    1.774,40
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    42.069,45
    -1.460,74 (-3,36%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.049,09
    -14,76 (-1,39%)
     
  • S&P500

    4.354,19
    -3,54 (-0,08%)
     
  • DOW JONES

    33.919,84
    -50,63 (-0,15%)
     
  • FTSE

    7.064,81
    +83,83 (+1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.221,54
    +122,40 (+0,51%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.076,00
    +52,00 (+0,35%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1807
    +0,0016 (+0,03%)
     

Facebook vai banir postagens de apoio ao Talibã

·2 minuto de leitura
Facebook vai banir postagens de apoio ao Talibã
Facebook vai banir postagens de apoio ao Talibã

O Facebook anunciou que vai começar a banir publicações do Talibã e de usuários que apoiem o grupo. A decisão vem após o regime voltar ao comando de Cabul, capital do Afeganistão, depois que as tropas dos Estados Unidos começaram a deixar o país. A rede social vai contar com o apoio de especialistas fluentes em idiomas afegãos.

A decisão inclui também outras plataformas do grupo, como o WhatsApp e o Instagram. O mensageiro, inclusive, foi apontado como uma das formas de comunicação do Talibã, o que motivou a ação do Facebook em suas redes. Apesar de já possuir regras contra conteúdo extremista, a empresa deve direcionar seus esforços para a crise no Afeganistão nesse momento.

Facebook contra o Talibã

“O Talibã foi sancionado como organização terrorista pela lei dos EUA e nós o banimos de nossos serviços de acordo com nossas políticas de Organização Perigosa. Isso significa que removemos contas mantidas por ou em nome do Talibã e proibimos elogios, apoio e representação deles” explicou um porta-voz do Facebook para a BBC.

Outro ponto de destaque, é que as redes são justamente usadas pelo grupo para divulgar suas ações e combinar ataques, inclusive plataformas como o Facebook e o Twitter. “As decisões que serão tomadas pelo Facebook e Twitter nos próximos dias terão impacto direto na vida de muitas pessoas que se encontram sob domínio do Talibã”, disse disse Emerson Brooking, pesquisador sênior do Atlantic Council à Bloomberg.

Leia mais:

“Esta situação está evoluindo rapidamente e, com isso, tenho certeza de que o risco também evoluirá. Teremos que modificar o que fazemos e como fazemos para responder a esses riscos variáveis à medida que acontecem”, explicou ainda Adam Mosseri, chefe do Instagram.

Em uma ofensiva relâmpago, o Talibã voltou a controlar a capital do Afeganistão poucos dias após a saída de forças armadas estrangeiras do país. Milhares de pessoas começaram a tentar fugir de Cabul nas poucas áreas ainda não controladas pelo grupo, incluindo o aeroporto. O presidente afegão também deixou o país que agora é quase inteiramente controlado pelo Talibã.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos