Mercado fechado

Facebook usa dados dos usuários para prejudicar rivais, segundo e-mails vazados

Nathan Vieira

Os funcionários de alto escalão do Facebook criaram estratégias sobre como usar o vasto controle dos dados dos usuários da rede social para prejudicar empresas específicas que eles viam como ameaças, de acordo com mensagens internas vazadas nesta quarta-feira (6). As informações são do portal norte-americano Business Insider.

Os dados do usuário são muito valioso para empresas de tecnologia. Acontece que o Facebook compartilha alguns dados com outros aplicativos quando conectam sua conta do Facebook a esses aplicativos. Em várias ocasiões, os funcionários do Facebook discutiram planos para restringir seletivamente o acesso a esses dados valiosos para aplicativos que fazem produtos concorrentes, como Twitter, Amazon, Pinterest e YouTube - mesmo nos casos em que esses aplicativos já foram aprovados para acessar os dados do usuário do Facebook.

Contudo, um porta-voz da rede social em questão chegou a dizer ao Business Insider: "Esses documentos antigos foram tirados de contexto por alguém com uma agenda contra o Facebook e foram distribuídos publicamente com total desrespeito às leis dos EUA".

E-mails vazados de funcionários do Facebook revelam desejo de colocar Twitter na lista negra, para prejudicá-lo

Outro vazamento mostra funcionários que planejavam colocar o Twitter na lista negra. A conversa ocorreu em um momento em que o Facebook sabia que tinha influência sobre o Twitter - os links do Twitter representavam 1% do tráfego de saída no Facebook, enquanto os links do Facebook representavam 33% do tráfego de saída no Twitter. "Você pode verificar se restringimos a API do Twitter para bloquear as listas de amigos?" um funcionário escreveu. "O YouTube não tem permissão para ver usuários que ainda não usam o aplicativo; portanto, uma lista de amigos seria retornada, mas seriam apenas os amigos que já são usuários do Youtube. Isso nunca foi ativado no Twitter", respondeu outro funcionário.

Em um e-mail vazado, a funcionária Jackie Chang descreve uma decisão de restringir o acesso da Amazon aos dados do usuário do Facebook, porque a wishlist da Amazon era vista como concorrente do aplicativo Facebook Gifts. "A plataforma promoverá uma mudança funcional que limitará a capacidade da Amazon de ler dados de amigos (incluindo aniversários) apenas para amigos conectados a esse aplicativo. Isso deve impedir significativamente a capacidade da Amazon de aumentar o aplicativo de presentes além dos usuários imediatamente conectados", Chang escreveu.

Iniciativa também tentou prejudicar a Amazon por causa da concorrência com o Facebook Gifts, segundo o Business Insider

O Business Insider aponta que o Facebook também decidiu aumentar os dados compartilhados com a Apple devido a um contrato especial, e um funcionário temia que as pessoas ficassem céticas em relação às mensagens do Facebook. "Estamos apostando na mensagem de confiança do usuário como nosso raciocínio e seria triste os jornalistas apontarem claramente que houve uma solução fácil e óbvia no iOS", escreveu o funcionário. O Facebook é objeto de uma ampla investigação antitruste e também já progatonizou muitas polêmicas em torno de privacidade dos seus usuários, o que chegou até a virar documentário da Netflix (você já deve ter ouvido falar da Cambridge Analytica, afinal de contas).

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: