Mercado abrirá em 42 mins
  • BOVESPA

    106.667,66
    +293,79 (+0,28%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.232,20
    -741,07 (-1,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,48
    +1,05 (+1,23%)
     
  • OURO

    1.818,40
    +6,00 (+0,33%)
     
  • BTC-USD

    42.073,31
    +160,19 (+0,38%)
     
  • CMC Crypto 200

    998,61
    -10,78 (-1,07%)
     
  • S&P500

    4.577,11
    -85,74 (-1,84%)
     
  • DOW JONES

    35.368,47
    -543,34 (-1,51%)
     
  • FTSE

    7.579,87
    +16,32 (+0,22%)
     
  • HANG SENG

    24.127,85
    +15,07 (+0,06%)
     
  • NIKKEI

    27.467,23
    -790,02 (-2,80%)
     
  • NASDAQ

    15.262,50
    +56,50 (+0,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3248
    +0,0177 (+0,28%)
     

Facebook remove seis redes de perfis de fake news e denúncias em massa

·2 min de leitura

A Meta, empresa que é dona do Facebook, anunciou nesta quinta-feira (01) a remoção de seis novas redes focadas à disseminação de fake news e desinformação na rede social. Os detalhes aparecem em um relatório publicado pela companhia nesta quinta (01) e revelam novas e antigas táticas destes grupos, que trabalham não apenas na publicação de mentiras como na redução do alcance de dados reais.

Além das regras usuais de comportamento coordenado e inautêntico, o Facebook afirma que o grupo infringiu outras duas políticas, relacionadas a denúncias feitas em massa e ao que a empresa chama de brigadismo, em uma tradução direta do termo em inglês. Basicamente, os perfis que faziam parte das redes realizavam denúncias em massa de conteúdos legítimos, assim como comentavam de forma constante, em tentativas de silenciar autores e levar à remoção de materiais autênticos, mesmo de forma indevida.

Entre os alvos citados pelo relatório estavam profissionais de saúde, jornalistas e políticos eleitos da Itália e da França, que foram alvo de tais operações por movimentos antivacina. Já no Vietnã, o foco de um dos grupos foram as notícias contra o governo vigente, com ativistas e repórteres sendo hostilizados e denunciados em massa. Redes de fake news também foram desbaratinadas na Polônia, China, Belarus e Palestina.

Combate à desinformação no Facebook é batalha constante

A visão do Facebook é que o combate à desinformação e comportamento não autêntico é uma batalha constante e, também, que se modifica ao longo do tempo. Na medida em que redes e perfis vão sendo retirados do ar, os responsáveis por essas práticas mudam de tática e começam a agir de forma a evadir banimentos e sistemas de monitoramento, tornando o trabalho de moderação mais custoso e difícil.

Ao mesmo tempo, a rede social afirma trabalhar constantemente em tecnologia e políticas que tornem tais comportamentos mais difíceis de serem ocultados, assim como menos eficazes. A Meta diz ter diferentes times trabalhando em questões desse tipo, com foco em variados países, também de forma a garantir que realidades regionais sejam entendidas para uma ação mais eficaz.

A companhia se comprometeu, ainda, a compartilhar os resultados de seus esforços e também as novas medidas com pares da indústria, pesquisadores e autoridades globais, assim como legisladores. O objetivo, no final, é adicionar novas camadas de segurança e atender aos anseios de usuários e da opinião pública quanto a grupos organizados deste tipo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos