Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,83 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,39 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,98
    +1,48 (+1,79%)
     
  • OURO

    1.793,10
    +11,20 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    61.633,74
    -1.757,49 (-2,77%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,69 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,94 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.324,00
    -154,75 (-1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5808
    -0,0002 (-0,00%)
     

Facebook reinventa ferramentas para empresas para não ferir privacidade de dados

·3 minuto de leitura

Novos produtos e serviços para empresas estão disponíveis no Facebook a partir desta quarta-feira (16). Os recursos são uma contrapartida ao lançamento das opções de privacidade da Apple, que permitem que os usuários desliguem o rastreamento para direcionamento de anúncios no iOS. Além disso, com regras como a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), a rede social precisa reinventar as formas como compartilha as informações de usuários com o mercado.

Segundo a plataforma, essas mudanças afetariam pequenas empresas que usam os anúncios na rede social para chegar aos clientes. Como não conseguiu evitar as alterações e viu o mercado passar a se preocupar mais com privacidade, o Facebook teve de criar novas formas de lidar com a propaganda.

Imagem: Reprodução/Pixabay
Imagem: Reprodução/Pixabay

Com a possibilidade de monitorar os clientes em queda — segundo um estudo da Flurry Analytics —, a plataforma desenvolveu funções para permitir que as empresas se posicionem melhor perante públicos relevantes. Com isso, elas poderão chegar aos consumidores, anunciar para eles, interagir com os clientes em diferentes apps da rede e assim por diante.

Um dos experimentos da empresa testou formas de levar os consumidores a conhecerem empresas a partir de tópicos de interesse. A função permite que eles encontrem companhias das quais podem gostar e que o Facebook crie um banco de dados de usuários com base nos conteúdos que eles preferem.

Conversas mais fáceis

Com o tempo, os empreendimentos podem até vir a pagar por posicionamento melhor. Por enquanto, a rede social vai oferecer a opção a mais usuários nos EUA, bem como lançá-la na Austrália, no Canadá, na Irlanda, na Malásia, na Nova Zelândia, nas Filipinas, em Singapura, na África do Sul e no Reino Unido.

Além disso, a plataforma quer facilitar as conversas entre empresas e seus clientes. Atualmente, elas podem comprar anúncios para encorajar contatos no Messenger, no Instagram ou no WhatsApp, mas a nova função vai permitir escolher todas as plataformas e o próprio Facebook vai direcionar os contatos para os locais em que há mais chance de eles ocorrerem.

Imagem: Reprodução/Pexels/Luca Sammarco
Imagem: Reprodução/Pexels/Luca Sammarco

A rede social pretende, ainda, vincular o WhatsApp ao Instagram. Isso porque muitas empresas têm lojas no Instagram, mas usam o WhatsApp para se comunicar com os consumidores. Então, o Facebook quer adicionar um botão que leva do perfil do Instagram diretamente ao WhatsApp.

Enquanto a plataforma busca integrar esses apps, as agências regulatórias querem separá-los por preocupação com práticas anticompetitivas. Atualmente, o Messenger e o Instagram estão unidos, o que dificulta a separação.

Mais recursos

A empresa desenvolve, ainda, testes de geração de leads pagos e orgânicos no Instagram, pedidos de orçamento no Messenger e um conjunto de ferramentas para iniciantes no Facebook Ads, com acesso gratuito ao QuickBooks ou ao Canva Pro por três meses.

Imagem: Reprodução/Pexels/Pixabay
Imagem: Reprodução/Pexels/Pixabay

Em breve, as empresas vão poder testar o acesso das ferramentas de negócios separadamente da conta pessoal do Facebook. Até o fim do ano, um pequeno grupo vai experimentar a opção e, em 2022, o alcance vai ser expandido.

Outros esforços incluem planos de incorporar mais criadores de conteúdo e empreendimentos locais, bem como recursos que permitem que os usuários controlem que tipo de material vão ver. Por enquanto, ainda não há mais detalhes sobre essas funções.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos