Mercado fechará em 1 h 36 min
  • BOVESPA

    108.290,65
    +1.994,47 (+1,88%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.815,56
    -74,10 (-0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,90
    +0,14 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.807,50
    +11,20 (+0,62%)
     
  • BTC-USD

    63.300,04
    +2.848,91 (+4,71%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.514,51
    +1.271,83 (+524,08%)
     
  • S&P500

    4.568,36
    +23,46 (+0,52%)
     
  • DOW JONES

    35.764,37
    +87,35 (+0,24%)
     
  • FTSE

    7.222,82
    +18,27 (+0,25%)
     
  • HANG SENG

    26.132,03
    +5,10 (+0,02%)
     
  • NIKKEI

    28.600,41
    -204,44 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    15.504,00
    +163,00 (+1,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4530
    -0,1278 (-1,94%)
     

Facebook precisa de ‘conversa séria’ com governo, diz vp da rede

·1 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Monika Bickert, vice-presidente de políticas de conteúdo do Facebook, diz que a gigante de redes sociais ainda precisa ter uma “conversa séria” com parlamentares e reguladores sobre um padrão de regras para o policiamento de conteúdo online.

Most Read from Bloomberg

A executiva contestou as alegações feitas em audiência no Congresso por uma ex-funcionária do Facebook, segundo a qual a empresa prioriza o lucro em vez da segurança. “Não é verdade”, afirmou Bickert.

“Eu não estaria nesta empresa por tanto tempo se esta companhia não priorizasse a segurança”, disse Bickert na terça-feira em entrevista à Bloomberg Television, acrescentando que tem trabalhado em políticas e conteúdo no Facebook há nove anos. “Formuladores de políticas e reguladores precisam descobrir uma maneira de garantir a responsabilização. Quais padrões as empresas precisam atingir neste setor?”

O Facebook e as ações da rede social estão sob pressão desde que a ex-gerente de produtos Frances Haugen forneceu milhares de documentos internos ao Wall Street Journal, que os usou como base para uma série de reportagens sobre os riscos e danos dos serviços da companhia. Na terça-feira, senadores revisaram as denúncias em audiência no Capitólio.

A empresa também enfrenta as consequências da queda de suas plataformas na segunda-feira, que atribuiu a uma mudança na configuração de rede.

As ações do Facebook fecharam em alta de 2,1%, cotadas a US$ 332,96 na terça-feira em Nova York. Os papéis caíram 4,9% na segunda-feira, a maior queda desde novembro do ano passado, após as denúncias e interrupção do serviço.

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos